A ideia "surreal" da moeda comum entre Brasil e Argentina - Jornal Fato
Fato Inovador

A ideia "surreal" da moeda comum entre Brasil e Argentina

A situação do Brasil é conhecida de todos nós: as pessoas não compram, o comércio não vende


É claro que o Presidente Jair Bolsonaro não falou sério quando disse na sua última viajem à Argentina que o Ministro da Economia, Paulo Guedes, estaria tentando viabilizar a antiga proposta de uma moeda única para o Brasil e a Argentina, em substituição ao Real e ao Peso Argentino.

A maior probabilidade é de que a proposta tenha sido tirada da gaveta empoeirada das ideias malucas como uma tentativa de influenciar as eleições argentinas, onde o Presidente de Direita, Mauricio Macri, "aparentemente", "momentaneamente" aliado de Bolsonaro (com Bolsonaro nunca se sabe se é mesmo ou até quando será), enfrenta uma campanha de reeleição difícil devido ao caos econômico e social no qual sua política neoliberal afundou o país, com a, cada vez mais iminente, provável volta da Esquerda kirchnerista (ligada à ex-Presidente Cristina Kirchner) ao poder.

A situação do Brasil é conhecida de todos nós: as pessoas não compram, o comércio não vende, a indústria não produz e o desemprego se alastra. Chegamos ao ponto de termos queda da inflação devido ao desaquecimento da economia (as pessoas não compram... etc.). Toda semana algum banco privado (Bradesco, Itaú etc.), o Banco Mundial, o FMI (Fundo Monetário Internacional), a OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) e o próprio governo reduzem a previsão de crescimento da economia em 2019. Todas as projeções apresentam um cenário futuro assustador para o Brasil.

Já a Argentina de Mauricio Macri teve um "crescimento negativo" de -2,8% (menos, para baixo, abaixo de zero).

A inflação argentina chegou a 47,6% em 2018 (https://bit.ly/2KI0IRH). Macri anunciou no dia 17 de abril passado um famigerado congelamento de preços, pelo qual o Brasil já passou, como tentativa de controlar o aumento dos preços e estimular o consumo (https://glo.bo/2GuK71e).

O Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), comentou a possibilidade de criação de uma moeda única entre os dois países na sua conta no Twitter (https://bit.ly/2wMEju0):

"Será? Vai desvalorizar o real? O dólar valendo R$ 6,00? Inflação voltando? Espero que não."

Mas, como neste governo tudo é possível... Oremos!

A criatividade do povo brasileiro não perdoa e já começaram as especulações nas redes sociais para "batizar" a nova moeda:

Surreal, Peso Morto (Peso Muerto), Moerda, Tchutchucoin, Falida, Tupinicoin, Dólarfake, Peladona (em homenagem Pelé/Maradona) etc. (kkkk)

Brincadeiras à parte, uma moeda comum entre o Brasil e a Argentina, no atual momento econômico dos dois países, com a Argentina bem pior que o Brasil, seria o mesmo que pedir esmolas para dois...

 

Joaquim Neiva é Jornalista e Gestor de Marketing Digital e

Mídias Sociais na Empresa Fazejamento Digital. (WhatsApp: 28 98814-6228)

 

 

 

 

 


Seu site é seguro

 

Ter destaque no maior buscado online da história da internet é essencial para a construção do seu site. Entender isso torna o seu caminho para a obtenção de clientes e de engajamentos mais simples.

Nesse processo, são diversos os fatores que contam para o índice de atração de um site. Você pode contar o design, elemento fundamental para a interação do consumidor, a produção de conteúdos interessantes e atrativos e, claro, a segurança do servidor ao acessar esse conteúdo.

Esse último elemento é pouco explorado pelas empresas no momento de construção de um site. É por isso que muitas acabam por perder muito público com a falta de certificados. Além disso, a sua imagem pode ficar prejudicada.

Vamos entender, a seguir, o que é necessário para que um site se torne seguro e como isso pode impactar na interação com o cliente. Como havíamos falado anteriormente, o Google serve para diferentes propósitos na construção do site. Porém, o que está em questão aqui é a indexação. Podemos entender melhor sobre a segurança e indexação a seguir.

Quando o seu cliente acessa a plataforma de seus conteúdos por meio do Google Chrome, há um mecanismo de detecção da segurança. Essa foi uma mudança feita pela corporação para garantir a segurança da navegação online.

Se o seu modelo não estiver entre os sites seguros, aparecerá um aviso ao usuário. Esse aviso serve para comunicar que o seu site contém elementos suspeitos. A conexão, dessa forma, não é segura, pois não está nos termos aprovados pelo Google.

Para que você não tenha esse problema na navegação de seus clientes, é necessário que o seu site esteja de acordo com o certificado de segurança SSL do buscador. Desse modo, o consumidor não encontrará barreiras.

Para saber sobre a segurança de uma plataforma, você deve observar o endereço. O início do endereço eletrônico, na parte de cima da tela, muda de HTTP para HTTPS. Desse modo, o consumidor poderá ser redirecionado de maneira rápida e automática.

Devemos observar que essa é uma alteração exclusiva do Google Chrome. Você deve pensar: se é apenas para um buscador, eu preciso me preocupar? Na verdade, você precisa.

O Chrome é um dos modelos de acesso que mais cresceram ao longo dou últimos anos, ultrapassando até o Internet Explorer. Por isso, você não pode deixar de ter o certificado. Mesmo que a maioria dos seus clientes não acesse a plataforma, você deve considerar todo o mercado.

 

Cleiton Martins é especialista em venda online

Comments

SEE ALSO ...