Esperança - Jornal Fato
Artigos

Esperança

Interessante se perceber viva. Vivíssima, até, diria


Interessante se perceber viva. Vivíssima, até, diria. O cheiro da terra molhada chega intenso e mexe com o sentido e as memórias. Remete a banhos de chuva, brincadeiras de criança, plantios de flores e verduras em tempo e fora de tempo. Enfim, relembra fartura e alegrias.

 

A mesma alegria percebida na troca de olhares, nas palavras não ditas, mas imaginadas, que causam bem-estar, e contraditoriamente, inquietação. Que fazem corar o rosto, gelar as mãos e acelerar o coração. Coisa de adolescente, se recrimina involuntariamente. Mas dane-se. Sente intensamente a vida. E sentir-se viva é motivo de sobra para comemorar. Os tempos são outros. Quer coisa melhor?

 

É uma sensação que dá ânimo e disposição para vencer mais um dia. Avançar mais um passo. Sonhar mais um sonho. Olhar para o futuro. Nem tudo está perdido. Há esperanças de que novos caminhos se abram, melhores, mais amplos, mais iluminados, em boa companhia. A vida realmente vale a pena.

 

Em alguns trechos, será preciso fazer escolhas e se permitir dúvidas e questionamentos. A viagem será longa ou curta? O que levo na bagagem? Mas isso não pode ser motivo de angústia. Afinal, a vida segue e ponto.

 

Por hora, opta pela quietude e a solidão voluntárias. Sem fadigas nem cobranças. Sente, mais do que nunca, que está no caminho certo. A chuva fina, que tantas boas lembranças traz, acalenta o coração. Faz lembrar os filhos pequenos, os passeios e os encontros e desencontros que a fizeram melhor e mais forte.

 

Sabe agora. Mais que isso. Sente no fundo da alma. Nada foi por acaso. Tudo está escrito no devido capítulo. As páginas do livro da vida foram escritas com letras pequenas e grandes, fortes ou fracas, de acordo com o momento. Mas cada uma merece estar ali. Tem o seu lugar de fala, como diria uma escritora brasileira. Algumas palavras foram apagadas pelo tempo, desimportantes que se tornaram.

 

Outras foram avivadas, tamanha a relevância que desfrutam na trajetória construída muitas vezes sem planejamento. Mas quer algo mais importante do que a sensação de renovo, de recomeço, de reconstrução? Nada é mais importante do que isso. Mesmo que em alguma parte não soubesse exatamente onde queria chegar, terá valido a pena. Os erros ensinam, se o percurso for corrigido.

 

Mas quando se quer um pouco mais da vida, novas oportunidades se apresentam, desde que se perceba o que pode somar na história da vida. Então, mais do que nunca, é hora de evocar as melhores lembranças, pessoas especiais e os grandes amores. Afinal de contas, é isso que ressignifica. Que faz valer a pena. Sou das que acreditam que nada acontece por acaso. Mais que isso, que nada é para sempre. Nem as dores, nem as alegria. Mas se pudesse escolher, manteria o brilho no olhar. Eles são ou não espelho da alma?

 

Então quero perceber os momentos, ouvir a chuva lavando a alma e fazendo brotar esperanças e novos sonhos. Bom demais viver. Mais que isso, se perceber viva e intensa. Que a vida nos surpreenda.

 

 

 


Anete Lacerda Jornalista

Comments

SEE ALSO ...