Ícone de Cachoeiro, Raul Sampaio, recebe homenagens - Jornal Fato
Especial

Ícone de Cachoeiro, Raul Sampaio, recebe homenagens

Autor de mais de 200 canções, Raul também recebeu homenagem do jornal ES de Fato


Raul Sampaio Cocco, tema da Festa de Cachoeiro de Itapemirim deste ano, recebeu homenagens na noite desta quarta-feira (04). O compositor cachoeirense recebeu um selo alusivo aos seus 90 anos, idade que completa nesta sexta (06). O jornal ES de Fato também prestou homenagens ao músico, que é uma das maiores personalidades nascidas no município.

Além da presença do próprio Raul, o evento - que encerrou oficialmente a edição deste ano da festa da cidade - teve a participação do prefeito Victor Coelho, de outras autoridades e de representantes da imprensa local.

O diretor deste jornal, Wagner Santos, entregou ao compositor uma moldura com a capa da edição especial da Festa de Cachoeiro, publicada no último dia 23 de junho. "Ele recebeu um exemplar do caderno e gostou muito. Então, emolduramos e entregamos a ele", comenta.

Raul Sampaio elogiou a edição especial e disse ter sido um "belo trabalho".

Ele também recebeu do presidente da Câmara Municipal, Alexandre Bastos, o título de Cidadão Benemérito - título de honra ao cidadão que merece recompensas e aplausos por serviços importantes prestados à sociedade.

Durante o evento, o prefeito Victor Coelho disse que foi uma felicidade homenagear um grande artista do município ainda em vida. "Raul Sampaio Cocco é o autor do nosso hino, da nossa cidade. É uma alegria muito grande saber que ele, uma pessoa retraída, aceitou o convite de estar aqui conosco nesta noite. Temos que aplaudi-lo de pé por tudo o que representa à nossa cidade, por tudo o que proporcionou para que Cachoeiro fosse conhecida fora daqui, por meio de suas músicas. Ele é reconhecido pelo grande artista que é e por tudo o que significa para nós", complementa.

Em entrevista, o homenageado desta festa falou que tudo foi surpreendente e revelou que não esperava por tanta "gentileza".

"Eu não procurei na vida nada que me levasse à glória. Eu sou um compositor e nasci para isso. Eu consegui fazer na minha vida tudo aquilo que eu gostava de fazer. Comecei a fazer música a partir do verso, e sem verso não tem como fazer música. E não fiz com intenção de chegar à minha cidade querida e receber tanta gentileza", comenta.

Sobre chegar aos 90 anos, Raul relembra que muitos de seus amigos já se foram, e alguns ainda cedo. "Eles se foram e eu fiquei. Hoje conto nos dedos os colegas que ainda tenho vivos", menciona.

Raul Sampaio dedicou sua vida ao comércio até 1952. Ele começou sua vida artística na ZYL-9, Rádio Cachoeiro, como solista do conjunto Dois Valetes e uma Dama. Foi integrante do conjunto Trio de Ouro, no Rio de Janeiro e sua primeiro música de sucesso foi "Guarda-Chuva de Pobre".

Autor de mais de 200 composições musicais, dentre elas "Meu Pequeno Cachoeiro", que foi sucesso na voz de Roberto Carlos, ele diz que também cantou sozinho, rodou o Brasil todo, conheceu cada canto de seu país e um ou outro lugar no exterior, mas que a realização de um artista é estar onde seja o seu lugar, sua casa.

"Nunca esperei muita coisa na minha vida, que sempre foi de simplicidade. Nunca tive grandes pretensões. O que eu gostava mesmo era que o cidadão gostasse da música que eu fizesse. E isso deu certo, porque eu nunca mostrei uma música a um cantor que fosse rejeitada. Mostrava e ele gostava", revela.

Questionado sobre as músicas da atualidade, Raul fala com franqueza que, "embora seja uma coisa realmente sem nexo, elas têm a finalidade de apurar os sentimentos das pessoas".

"Hoje há uma tal facilidade de gravar discos. Todo mundo faz uma musiquinha e grava. 'Ah, a música não presta', não presta pra um ou outro, mas é, de qualquer maneira, um aprendizado. Estamos num mundo, não só o país, de diversidades. Na minha época era muito difícil gravar. O cantor tinha que estar num estúdio, numa sala enorme com uma multidão de músicos... no entanto hoje não, hoje com um teclado o cara grava a música e pronto", relembra.

Raul Sampaio recebeu, em 1969, o título de Cachoeirense Ausente, nessa época ele ainda morava no Rio. Hoje, ele vive em Marataízes, a pouco mais de 40 Km de sua terra natal.

 

Comentários

VEJA TAMBÉM...