Cachoeiro entre a visão e a realidade - Jornal Fato
Artigos

Cachoeiro entre a visão e a realidade

Embora use a retórica, um tanto batida, de transformar a cidade em canteiro de obras, o objetivo manifestado vai além do concreto e do asfalto


Imagine uma cidade bem iluminada, com parques e praças "ocupados" pelas famílias. Áreas de convivência ao ar livre para a prática esportiva e lazer. Crianças em escolas com educação básica de tempo integral e, mesmo nas tradicionais de meio período, com direito a uniforme e todo o material escolar utilizado no ano letivo sem custos.

Arquitete soluções tecnológicas para reduzir filas de acesso aos mais basilares serviços públicos. Ruas limpas e sem buracos. Lixeiras subterrâneas e varrição mecânica das sarjetas.

Pense no fim do tráfego de veículos pesados sobre as vias estreitas. Pontos de ônibus modernos, aconchegantes e tecnológicos.  Equipamentos públicos bem cuidados e segurança reforçada com cerco eletrônico nos acessos ao município.

Conceba um centro urbano reorientado para as pessoas e não para as coisas. Respeitando a precedência do pedestre e transporte público sobre as opções particulares. Com o privilégio ao tráfego e a cobrança pela utilização do espaço público como estacionamento.

Conjeture ambiente mais hospitaleiro e menos hostil a empreendedores. O acolhimento e incentivo para devolver cidadania e dignidade aos menos afortunados, com geração de emprego e renda.

Tudo isso é, hoje, bem próximo do oposto do que ocorre em Cachoeiro de Itapemirim, a cidade polo do sul do Espírito Santo. Mas faz parte das projeções do prefeito Victor Coelho e alguns de seus auxiliares em entrevistas recentes. É um alento.

Embora use a retórica, um tanto batida, de transformar a cidade em canteiro de obras, o objetivo manifestado vai além do concreto e do asfalto. O âmago é perseguir a qualidade de vida e dos serviços públicos insistentemente.

Após vencidos os embaraços burocráticos e de falido sistema de gestão herdado há dois anos, o prefeito acredita que reuniu as condições ideais. O cenário pintado é recebido com desdém pelos que se manifestam nas redes sociais.

Há, é claro, muitos movidos por inclinações políticas, partidárias, eleitorais e/ou ideológicas. Quanto a esses, pouco se pode argumentar. Existe, porém, outra parte, a maioria, silenciosa, provavelmente também desconfiada, que nutre, ainda, esperanças de que o gestor transforme a visão em realidade.

E para convencê-los, é simples, embora não seja fácil. Basta transformar o discurso em ação, dialogar francamente sobre as dificuldades, que certamente virão, e tudo será perdoado.  É sobre esse passo a passo, entre o que se planeja e o que efetivamente será feito, que nos debruçaremos nos próximos meses.

 


"Nunca esqueças os benefícios recebidos, mas esquece rapidamente os que fizestes."

Públio Siro

 


Notas

Tiros no Centro

Essa coluna foi escrita logo após o estarrecedor assalto que terminou com estagiário baleado no Centro de Cachoeiro, na tarde de ontem. Absurdo. A polícia tem que dar resposta à altura, identificando e prendendo os criminosos envolvidos na atrocidade.

 

Tem que agradecer

É claro que para a Saúde, qualquer recurso sempre será pouco, mas o Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim deveria agradecer de maneira veemente todo o apoio que tem recebido das três esferas governamentais. Ontem, por exemplo, foi encaminhada à doação de terrenos da Prefeitura de Cachoeiro para a ampliação de seus serviços. Fora a ajuda de outras prefeituras da região e da população, de maneira direta, com doações e aquisições de ingressos e produtos beneficentes.

 

Ainda o trânsito

Providência que melhoraria, muito, o tráfego na Rua Moreira, seria a retirada da estrutura da Multivix do local. Entretanto, apesar da construção da nova sede, no União, não parece que o campus, que não dispõe de vagas de estacionamento suficientes, vá ser desativado. Aos motoristas, resta ter muita paciência.


 

DESTAQUE. Um dos empreendimentos mais tradicionais de Marataízes, a Padaria da Barra faz da qualidade dos produtos fator que a diferencia no concorrido mercado. Na foto, o proprietário Adhemar José de Oliveira e parte da equipe que faz o sucesso do estabelecimento entre moradores e turistas


Sobe

Carnaval

A Prefeitura de Cachoeiro parece ter entendido o recado dado pelo minguado público na programação desenvolvida no Parque de Exposições, no ano passado, e resolveu, desta vez, fazer evento na região na Parça de Fátima, onde as matinês fizeram sucesso. Menos pompa e melhores circunstâncias.

 

Desce

Ritmo lento

E Marataízes continua a atrair bom público, mais pela sua tradição e atributos naturais do que pela atuação do poder público. A cidade cresce por força dos empreendedores, mas anda empacada em obras públicas. As coisas andam em ritmo muito lento. As poucas que andam.

 


MAIS HEIN!

Reclama do desemprego, mas fica feliz quando empresas como Selita ou Flecha Branca, duas das principais geradoras de emprego no município, enfrentam revezes comerciais.


 

Vias de FATO

Na semana passada o FATO estreou a entrevista esportiva da semana, em vídeo, com o único presidente campeão estadual com o Estrela, Adilson Conti.

 

Nesta semana, o entrevistado é o também ex-presidente do clube, Toninho Carlos. O vídeo será publicado até quinta-feira nas redes sociais do jornal.

 

O vereador Rodrigo Sandi (Pode) não põe muita fé no carnaval de Cachoeiro e pede que o evento seja cancelado e os recursos, aplicados em outros serviços.

 

O novo secretário de Governo da Prefeitura de Cachoeiro, Paulo Miranda, tem levado o prefeito Victor coelho a cumprir agenda mais próxima do povão.  

 

Alteração no trânsito na região do Ibitiquara e do Ferroviários precisa, apenas, ser mais bem ajustada e sinalizada. Na essência, está correta. 


Wagner Santos Diretor e editor Jornalista

Comments

SEE ALSO ...