Ministério: vagas do Mais Médicos foram preenchidas - Jornal Fato
Saúde

Ministério: vagas do Mais Médicos foram preenchidas

Havia 3.828 candidatos aptos a participar desta etapa da seleção que foi aberta às 8h de quarta-feira (13)


- Divulgação/Unsplash

Brasileiros formados no exterior preencheram em 40 minutos todas as 1.397 vagas remanescentes no programa Mais Médicos, de acordo com o Ministério da Saúde. Esta nova etapa da seleção começou às 8h desta quarta-feira (13). Os postos são os últimos dos 8.517 abertos em novembro passado, quando os profissionais cubanos deixaram o país.

Agora, os médicos terão entre os dias 19 e 22 de fevereiro para se apresentar nos locais de trabalho. As vagas estão distribuídas em 667 localidades.

Havia 3.828 candidatos aptos para participar da seleção e eles tinham até as 18h de quinta-feira (14) para escolher as cidades de atuação. Eles poderão ser contratados pelo Mais Médicos mesmo sem a revalidação do diploma.

Se todos os profissionais comparecerem às prefeituras, não haverá mais oportunidade para que médicos estrangeiros formados fora do Brasil escolham onde atuar, conforme expectativa do governo. Entretanto, caso permaneçam vagas em aberto, o cronograma (veja abaixo) ainda prevê outras etapas na seleção.

Cronograma do Mais Médicos:

  • 13 e 14 de fevereiro: brasileiros formados no exterior escolhem vagas disponíveis;
  • 19 de fevereiro: Ministério da Saúde divulga lista com médicos brasileiros que foram alocados em vagas;
  • 19 e 22 de fevereiro: médicos brasileiros com diploma estrangeiro começam as atividades preparatórias nos municípios;
  • 21 e 22 de fevereiro: caso sobrem vagas depois desta quinta-feira (14), médicos estrangeiros com diploma obtido no exterior podem escolher entre as cidades remanescentes;
  • 27 e 28 de fevereiro: médicos estrangeiros formados no exterior começam as atividades preparatórias nos municípios.

Etapas anteriores

De acordo com o balanço de vagas do Ministério da Saúde publicado em janeiro, havia 1.460 vagas para serem escolhidas por profissionais formados no exterior entre quarta (13) e quinta (14). No entanto, médicos que não haviam sido aceitos no programa entraram com recurso judicial contra a decisão e conseguiram ocupar os postos, segundo assessoria da pasta.

As primeiras fases da seleção deram prioridade a médicos brasileiros com diploma registrado no Brasil. No final de 2018, Cuba decidiu retirar seus profissionais do país, citando "referências diretas, depreciativas e ameaçadoras" feitas pelo presidente Jair Bolsonaro. Cerca de 8,3 mil cubanos atuavam no Mais Médicos, que foi criado para levar atendimento a regiões remotas do país.

Com o fim do prazo para médicos brasileiros se apresentarem nos municípios onde iriam trabalhar, os profissionais formados no exterior inscritos no programa puderam optar pelas vagas remanescentes.

Fonte da matéria: G1

Comentários

VEJA TAMBÉM...