Microrregião Central Sul define composição de conselho para desenvolvimento regional - Jornal Fato
Geral

Microrregião Central Sul define composição de conselho para desenvolvimento regional

criação da entidade é uma ação integradora do Plano Regional de Desenvolvimento lançado pelo Governo do Estado em abril deste ano


- Divulgação

O Conselho Regional de Desenvolvimento da Microrregião Central Sul foi instalado nesta quinta-feira (16). A criação da entidade é uma ação integradora do Plano Regional de Desenvolvimento lançado pelo Governo do Estado em abril deste ano. O evento foi realizado em Cachoeiro de Itapemirim.

No encontro foram definidos os membros que formarão o Conselho Regional, composto por representantes das prefeituras, Poder Legislativo, setor produtivo, entidades locais e das organizações da sociedade civil.

O prefeito de Cachoeiro de Itapemirim, Victor Coelho, e o prefeito de Vargem Alta, João Altoé, vão desempenhar as funções de presidente e vice-presidente do conselho, respectivamente. Os nomes deles foram indicados, em consenso, entre os chefes do Legislativo Municipal presentes à reunião.

De acordo com o coordenador executivo do Plano Regional de Desenvolvimento, o subsecretário de Desenvolvimento, Paulo Menegueli, a ação possibilitará melhor aproveitamento das potencialidades regionais.

"Vamos desenvolver ações e projetos para a prosperidade de cada cidade e microrregião do Estado, dando ênfase às suas vocações e potencialidades. Buscamos, desta forma, melhorar a qualidade de vida dos capixabas, combatendo desigualdades sociais e regionais, além de manter a sustentabilidade fiscal do Estado e dos municípios", explicou.

O prefeito de Cachoeiro de Itapemirim, Victor Coelho, destacou a "sensibilidade do governador Renato Casagrande em dar luz ao tema do Desenvolvimento Regional".

"Isso mostra a visão empreendedora que o governador tem. Tenho certeza que a partir desta reunião teremos um planejamento regional muito bem feito e este nosso sonho se tornará realidade: nossas potencialidades desenvolvidas ao máximo e pensadas de modo regional. Com este projeto, vamos pensar os problemas crônicos da nossa região e desenvolvê-la cada vez mais", disse o prefeito.

Caberá ao Conselho da Microrregião Central Sul a formulação de um Plano Regional que será elaborado em parceria com instituições de ensino e pesquisa, públicas e privadas. Através deste instrumento será realizado um diagnóstico territorial, com a definição de estratégias e programas específicos que apontem os melhores projetos de desenvolvimento que poderão ser executados em benefício conjunto da microrregião.

Os municípios contemplados pelos conselhos da Microrregião Central Sul são: Apiacá, Atílio Vivácqua, Cachoeiro de Itapemirim, Castelo, Jerônimo Monteiro, Mimoso do Sul, Muqui e Vargem Alta

Até o mês de setembro, serão criados outros oito conselhos regionais, que vão contemplar as microrregiões Sudoeste Serrana, Central Serrana, Litoral Sul, Caparaó, Rio Doce, Centro Oeste, Nordeste e Noroeste.

A formação do Conselho Regional de Desenvolvimento da Microrregião Litoral Sul está prevista para o próximo dia 30, na cidade de Anchieta.

Para o secretário de Estado de Planejamento, Álvaro Duboc, a criação dos conselhos favorece o diálogo institucional em busca do desenvolvimento de forma equilibrada. "Criando um ambiente de integração de políticas públicas, o Governo do Espírito Santo quer estimular o desenvolvimento de todas as regiões do Estado e, além disso, melhorar a qualidade dos serviços públicos oferecidos", apontou.

Álvaro Duboc também destacou o diálogo proporcionado pelos comitês. "O governo quer dialogar com prefeitos, com representantes dos poderes Executivo e Legislativo, do setor econômico, das instituições de ensino, dos movimentos sociais e da academia dos municípios, e a partir desse diálogo, identificar quais são os principais fatores de desenvolvimento em cada microrregião, que envolvem vocação, desafios e potencialidades de cada uma delas", esclareceu.

Na Grande Vitória, as ações serão realizadas pelo Conselho Metropolitano de Desenvolvimento da Grande Vitória (Comdevit), que reúne os municípios da Região Metropolitana.

Atividades do Conselho

Os trabalhos do conselho serão subsidiados por estudos e pesquisa elaborados por meio de projeto da Fundação de Amparo à Pesquisa do Espírito (Fapes), coordenado pelo Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN) em parceria com a Secti. As pesquisas contarão com bolsistas de instituições de pesquisa locais, de modo a enriquecer os dados e informações já disponíveis, aprofundando os diagnósticos e subsidiando as decisões e pactuações regionais.

No evento em Cachoeiro de Itapemirim, nesta quinta-feira (16), o diretor presidente do IJSN, Luiz Paulo Vellozo Lucas, apresentou o Panorama da Macrorregião Sul e da Microrregião Central Sul, com características demográficas, sociais e econômicas locais. O documento, produzido pelo IJSN contém indicadores que servirão de base aos trabalhos do Conselho de Desenvolvimento Regional, como a participação de cada setor na economia local, o PIB e suas distribuições setoriais e per capita; a produtividade e renda da terra, produtos e áreas mais produtivas; empregabilidade, setores e municípios que mais empregam e receitas municipais.

Entre algumas potencialidades estruturantes da Microrregião Central Sul, Luiz Paulo Vellozo Lucas destacou o aeroporto regional de Cachoeiro de Itapemirim e sua dinamização, além da reativação da Ferrovia Centro-Atlântica, como "portas de entrada para o aproveitamento do potencial cultural, ambiental, turístico, gastronômico dessa região e todos ativos que estão adormecidos e poderão ser acordados por este trabalho coletivo entre Governo do Estado, lideranças locais, setores produtivos e sociedade".

As informações apresentadas no evento, o panorama das microrregiões, além de estudos, pesquisas e indicadores elaborados no âmbito do projeto estarão disponíveis eletronicamente no item "Desenvolvimento Regional", no site do Instituto Jones (www.ijsn.es.gov.br), para subsídio aos Conselhos de Desenvolvimento Regional, além de toda a população capixaba, como um instrumento virtual para dinamizar as atividades e a interação regional e disseminar as informações produzidas.

Comments

SEE ALSO ...