Moradores de Monte Líbano reclamam de animais abandonados - Jornal Fato
Meio Ambiente

Moradores de Monte Líbano reclamam de animais abandonados

São cães e cavalos, já debilitados por doenças, carrapatos e outras enfermidades que não tem cuidados e atenção de seus donos. Eles ficam soltos à própria sorte, com sede e fome


Não é de hoje que os animais vivem soltos, correndo risco de morte na pista da ES 482 que passa pela comunidade de Monte Líbano, em Cachoeiro de Itapemirim.  As áreas próximas à linha férrea e à estrada que dá acesso ao Lar Adelso Rebelo Moreira, são alguns dos outros locais onde mais se encontram os animais.

São cães e cavalos, já debilitados por doenças, carrapatos e outras enfermidades que não tem cuidados e atenção de seus donos. Eles ficam soltos à própria sorte, com sede e fome além da saúde comprometida, e contam muitas vezes com a solidariedade de quem mora ali.

 

Mariana Carolina Maier, moradora do local, contou ao FATO que tem pena, tenta ajudar como pode os bichos, mas não tem condições nem dá conta dos tratamentos: "diante de tanta crueldade esperamos que a prefeitura tome providências, envolvendo os órgãos responsáveis e os proprietários", desabafa.

Os moradores informaram que os órgãos competentes da Prefeitura, como Secretaria de Meio Ambiente e Zoonoses, já foram comunicados diversas vezes mas não tomaram providências quanto aos casos de abandono. 

A Reportagem do FATO procurou a Prefeitura de Cachoeiro de Itapemirim, que informou que: em relação aos animais debilitados, a vigilância ambiental, da Secretaria de Saúde, por meio da unidade de vigilância de zoonoses, irá até ao local para identificar alguma zoonose ou os animais doentes.

A Comunicação da Prefeitura de Cachoeiro também esclareceu que quando se trata de animais de grande porte, como cavalos soltos em via pública, deve-se direcionar essa solicitação para a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, que é a responsável pelo recolhimento e providências desses animais.

Todas as reclamações e solicitações podem ser feitas através do telefone 156.

Comments