Hora de fé - Jornal Fato
Artigos

Hora de fé

Como um mar revolto, vez e outra a vida nos surpreende com suas ondas


Como um mar revolto, vez e outra a vida nos surpreende com suas ondas. Quando achamos que as coisas seguem seu rumo linear, somos surpreendidos por curvas que desgovernam os caminhos e ferem a alma, mas nenhuma alteração no curso da vida nos deve esmorecer.

Na última semana, minha família viveu um desses momentos revoltos, ainda vive. A reação inicial foi o choro, o sentimento de impotência diante daquilo que não poderíamos controlar. Na cabeça surgiram vários porquês, mas, aos poucos, a alma foi encontrando em Deus o equilíbrio e a pergunta passou a ser "para quê"? Qual a razão desse momento de provação? O que espera de nós Senhor com esse mar revolto? Como fazemos para caminhar sobre ele sem afundar?

A resposta da alma foi: tenha fé, tenha fé, fé ..., olhe para Àquele que tudo pode, que tudo faz e tenha bom ânimo. Na mente, surgiram pensamentos positivos, a esperança prevaleceu e prevalece. Esse é o milagre da fé. Essa é a sorte daqueles que creem em Deus: mesmo diante do mar revolto, a certeza de sua passagem; a certeza de que caminharemos sobre as águas.

Passado o susto inicial, molhado com lágrimas de intensa dor, percebi que é mais fácil defender e amar a Deus quando as coisas caminham, apesar dos ressaltos, nos trilhos que traçamos. O desafio cotidiano é amar esse mesmo maravilhoso Deus quando a saúde nos falta, quando vemos quem amamos fragilizado. Eis o grande desafio, mas, também, eis a mágica encantadora da vida: saber que Deus é Deus sempre. Mesmo quando não prevalece a nossa vontade, Ele continua sendo Deus.

Nesses últimos dias, minha família tem experimentado momentos desafiadores, mas, apesar disso, Deus tem enviado anjos que nos têm fortalecido. Apesar dos males, Deus nos tem revelado seu zelo, seu amor e sua misericórdia. Isso nos tem sustentado. Isso nos tem dado a esperança e nos fará ver o milagre acontecer.

Todos, em algum momento, vivemos o medo de perder pessoas amadas, pois, mesmo para os cristãos, que reconhecem nessa vida uma passagem, a mera possibilidade da partida é difícil. Afinal, só conhecemos essa vida e, apesar de seus pesares, não temos pressa. Por que comigo seria diferente?

Além disso, mesmo na era digital, somos seres cheios de sentidos: precisamos do toque, do olhar, do abraço, do beijo,..., precisamos de um amor real e não lembrado. Assim, pensar que estes não serão mais possíveis, machuca, causa dor, mas esta não nos pode desesperar.

Jesus, por meio de João, 16:33, através da bíblia sagrada, não nos consola à toa. Ele, que sofreu de todas as dores, sabia, que nessa vida, muitas seriam nossas dores também e, por essa razão, nos deixou a presença de seu Espírito Santo e a mensagem:

 

"Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo."

 

Se creio, se cremos, então é isso: minha família vive o momento de experimentar essa coragem que somente Deus pode nos dar e agradeço a todos que por nós tem orado. Tendo em vista que muitos dos leitores também vivem esse momento, desejo: CORAGEM! Seja o que for que a vida lhes dê de presente, ainda assim, é preciso seguir em frente. Porém, algumas dores, de tão intensas, tem o dever de nos fazer pessoas melhores. Assim, que a graça de Deus nos alcance a todos, não só a mim e aos meus familiares, mas à integralidade dos filhos de Deus de modo que, além do milagre que precisamos, sejamos transformados em pessoas melhores.


Katiuscia Marins Colunista/Jornal Fato Advogada e professora

Comentários

VEJA TAMBÉM...