Fim de Férias - Jornal Fato
Artigos

Fim de Férias

Como é fim de férias, resolvi descansar um pouco


Como é fim de férias, resolvi descansar um pouco e, aproveitando, trazer aos leitores, visões maravilhosas de artistas e artesãos locais, cuja arte enobrece Cachoeiro. A motivação é a valorização da arte e dos nossos artistas.

Ao fim, o que sonho é que esses heróis privilegiados por Deus sejam bem mais reconhecidos e Cachoeiro não só homenageada como CAPITAL SECRETA, como por ser cidade em a que arte vibra de verdade e intensamente.

Todos os três artistas/artesãos podem ser acessados para contato pelo facebook; e os telefones deles estão aqui, nesta página. Todos cachoeirenses de nascimento.

Deixei de colocar o valor de cada obra, vez que eles têm muitas outras, que podem ser negociadas, ao gosto do admirador.

São eles:

HUMBERTO CESAR POUBEL, que traz seu desenho colorido do centro da cidade de Cachoeiro, cópia quase fiel de fotografia de 1954. (telefone para contato - 028 99930-0180)

 

JD BURTON, com a mesma qualidade de Humberto, ilustra a página com magnífico desenho em preto e branco, de imagem de moça lindíssima, à altura do traço do autor. (telefone para contato - 028 99991 6839).

 

 

TANIA CHECON, com qualidade semelhante aos dois outros cachoeirenses, brinda a página com sua imagem de Nossa Senhora Rosa Mística; arte muito especial, que também enobrece este meu espaço. (telefone para contato - 028 99955 6825).

 

Prefácio

Rubem Braga escreveu uma belíssima crônica - entre tantas outras belas, na qual conta sobre uma cidadezinha, possivelmente no interior de Goiás, que, apesar de muito simples, ostentava um sino de ouro no campanário de sua igreja. Ora, tantos criticavam aquele luxo desmedido, em uma cidade tão cheia de precisão. Mas, uma criança, quando ouviu falar desse sino, mostrou um olhar iluminado e perdido, voando em sua imaginação:

- Que lindo deve ser o som de um sino de ouro! E como deve ser bom morar nesse lugar para ouvi-lo todos os dias.

Dessa pequena lenda urbana, Rubem nos traz a lição aprendida: um sino, de ouro, e o seu som, numa cidade desprovida de grandes tesouros - quantos sonhos podem acalentar. Quanta esperança!

O movimento criado pela bela professorinha, Maria Gabriela Verediano, muito mais que bela, na Escola Estadual Presidente Getúlio Vargas, "Polivalente Aquidabã", em Cachoeiro de Itapemirim chegou para nós como o som desse sino de ouro, renovando esperanças e certezas!

Professora que incentiva a leitura e a escrita - que ensina gosto e ousadia, cidadania e coragem; trouxe aos seus alunos, e traz a cada um de nós essa grande lição: -  É preciso escrever, e há tanto a dizer!

Esses valorosos alunos assim o provaram - e não só se permitiram ler e escrever, como também lutar para serem lidos. E juntaram-se a eles os demais professores de Língua Portuguesa da Escola: Rômulo Farias, Lina Fregonassi, Mariza Crevelari e Brunela Oliveira - conspiração do Bem. Daí começou a campanha pela arrecadação de recursos para a publicação do livro dos estudantes - prova cabal de que é possível realizar; que sonho sonhado junto pode se concretizar.

Foi como se o sino de ouro tocasse seu blém-blém encantado... E as pessoas, aos poucos, ao ouví-lo, se permitissem sonhar o mesmo sonho. Pode acontecer.Acontece. Aconteceu. Quem vai se atrever a duvidar?

Depois de feito, fica a pergunta, cheia de alegria e esperança:

- Aonde esses cronistas ainda vão chegar?

Viva!!

Blém, Blém, Blém!

(Este prefácio, escrito por Maria Elvira e por mim, está no livro dos estudantes do Polivalente Aquidabã, "CORAÇÃO ESTAFERMO", lançado na última semana. Os cronistas têm em redor de 14/15 anos de idade; são exemplos para a cidade. O livro está sendo vendido a R$ 30,00 o exemplar, e vale).


Higner Mansur Advogado, guardião da cultura cachoeirense e, atamente, vereador

Comentários

VEJA TAMBÉM...