Erros mais comuns na sua estratégia de marketing digital - Jornal Fato
Fato Inovador

Erros mais comuns na sua estratégia de marketing digital

Nesse texto trago 3 situações em que erros podem acontecer, mas que devem ser resolvidos e superados


Certamente você já ouviu falar sobre o marketing digital e toda a revolução que ele vem fazendo ao longo dos anos. Sendo feito de forma estratégica, ele é capaz de aumentar a visibilidade da empresa, alavancando suas vendas, num investimento inferior se comparada com as propagandas em meios de comunicação como a televisão e o rádio.

Nesse texto trago 3 situações em que erros podem acontecer, mas que devem ser resolvidos e superados.

1 - Investimentos

O Marketing Digital não se limita apenas a um site ou um blog, uma campanha no Google AdWords ou uma página numa rede social. Essas ferramentas precisam de um bom planejamento e uma equipe preparada para trabalhar com elas.

Além de disponibilizar um valor de investimento na equipe de marketing ou na terceirização desta, sua empresa deverá investir também em anúncios nas redes sociais e no Google. Disponibilizar desse valor para estes recursos é indispensável, pois eles são os canais de comunicação que sua empresa terá com o seu público. E isso sem falar no número de empresas que estão divulgando na internet também, o que acaba fazendo com que esse serviço se torne mais caro.

2 - Estar atento ás mudanças do Marketing Digital

O Marketing Digital não é uma ferramenta simples de ser utilizada. Até para uma equipe treinada e capacitada, ele tem as suas armadilhas.

Imaginar campanhas, elaborar um tipo de anúncio convincente, saber lidar com erros e bugs das ferramentas, entre outros desafios, são coisas que sempre acontecem e que vão testar a sua paciência.

Outra coisa que se deve ficar atento é para a criação de novas ferramentas que auxiliam na gestão das redes sociais e outras mídias utilizadas, por isso o profissional do marketing deve se manter atualizado, evitando despender muito tempo em uma tarefa, comprometendo o resultado final.

Isso apenas falando pelo lado da execução das tarefas, algo mais prático.

Após realizar esse trabalho, é importante saber lidar com os números que serão apresentados. Analisá-los para saber se estão em uma crescente é essencial para definir o caminho que será traçado a partir deles.

3 - O Marketing Digital não resolverá os problemas da operação

Se você está tendo dificuldades em vender com a sua empresa e aposta as suas fichas no Marketing Digital, achando que ele alavancará as suas vendas, você poderá ter uma decepção.

O Marketing Digital tem sim, o poder de aumentar a divulgação do seu produto. Mas ele não tem o poder de resolver questões sobre a qualidade do produto e a forma de entrega.

Com isso, conclui-se que o Marketing Digital é um importante aliado na divulgação da sua marca. Mas é preciso saber mexer com ele, ter conhecimento, para que possa alcançar os resultados que deseja.

 

Cleiton Martins é especialista em vendas online

 

 

 

 


A Ética e a Inteligência Artificial (AI)

 

O Ativista das Causas Ferroviárias, Paulo Thiengo, chamou a minha atenção para, quem sabe, a questão mais importante e intrigante da área de tecnologia da nossa época: o desafio da implementação da AI (Inteligência Artificial).

O Paulo me enviou dois links de reportagens, ambos do portal UOL.

A primeira falando que a Google LLC usou vídeos do "Desafio do Manequim" (aqueles vídeos que viralizaram no final de 2016, onde grupos de pessoas ficavam imóveis, "congelados", enquanto uma câmera percorria a cena simulando um efeito tridimensional) para "treinar" sua AI na compreensão de cenas 3D. (leia a matéria aqui: https://bit.ly/2JEaQbJ)

A segunda dizia respeito a escutas desautorizadas que aparelhos portadores de AI fazem nas casas de seus usuários, como a Alexa da Amazon (que possui capacidade de interagir por voz, tocar músicas, fazer listas de tarefas, configurar alarmes, prover informações sobre tráfego, temperatura, entre outras informações, além de controlar sistemas e aparelhos inteligentes e conectados) e a Google Assistant (uma assistente pessoal virtual desenvolvida pelo Google, ela pode realizar tarefas do dia-a-dia, como ligar para pessoas, mandar mensagens, pesquisar no Google, e ainda conversar com o usuário). (leia a matéria aqui: https://bit.ly/2XG4Edf)

Minha resposta foi a seguinte:

"Eu não luto contra o inexorável. É como a questão da clonagem humana. Melhor se preparar para regulamentar e fazer a regulação. Resta-nos estabelecer os limites éticos."

"A implementação da AI (Inteligência Artificial) está sem regulamentação e sem regulação no mundo. Os governantes são analógicos. Não percebem a necessidade urgente de um Marco Regulatório. Enquanto isso, eles (Google e Amazon) abusam na busca de informações e fazem os cidadãos de cobaias."

E é isso o que penso. Independente da minha vontade ou esperneio, das vontades ou esperneios dos governos, TUDO o que for possível ser criado tecnologicamente SERÁ criado em algum momento da humanidade, a menos que destruam o planeta antes.

Então, diante do inevitável, melhor seria que os governos democráticos buscassem exercer algum controle mínimo sobre isso, determinando limites éticos para evitar o pior, ou seja, que o submundo ou apenas governos autoritários consigam desenvolver essas tecnologias. A prática já demonstrou que a proibição radical é tão ou mais perigosa que o "liberou geral". Como na Filosofia Budista, melhor escolher o caminho do meio, o Tao (https://bit.ly/2YS63dp).

Tempos difíceis...

 

Joaquim Neiva é Jornalista e Gestor de Marketing Digital e

Mídias Sociais na Empresa Fazejamento Digital. (WhatsApp: 28 98814-6228)

Comments

SEE ALSO ...