Sucesso com produtos caseiros - Jornal Fato
Especial

Sucesso com produtos caseiros

Microempreendedora, que já foi boia-fria, aproveitou habilidade na cozinha para conquistar clientela cativa no Zumbi


Carro-chefe de Rosalina são os pães recheados, que lhe renderam o apelido no bairro cachoeirense mais populoso - Foto: Ronaldo Santos

De boia-fria na Região do Caparaó à microempreendedora do ramo alimentício no Zumbi, em Cachoeiro de Itapemirim. Eis a saga de Rosalina da Silva do Nascimento. Nesta história o que não falta é trabalho duro, assim como nas de milhões de brasileiros. 

No bairro mais populoso da cidade, conquistou clientela cativa e agora é conhecida como "Rose do Pão".  Rosalina, de 33 anos de idade, cresceu nas proximidades da famosa Cachoeira da Fumaça e começou a trabalhar muito cedo, ainda adolescente, na colheita de café. "Pegava caminhão de madrugada, em direção a propriedades em Ibitirama, Iúna e outras localidades", relata.

Mas, ciente de seu dom para culinária, há cerca de uma década debutou no ramo, trabalhando com confeitaria em Guaçuí. Ela considera que nasceu "premiada", por ter herdado da mãe a habilidade na cozinha.

"De doze irmãos, sou a única que gosta de cozinhar, eu amo cozinha, sempre amei, faço tudo para estar lá".

 Rosalina diz que sempre teve grande curiosidade. "Observava muito a minha mãe, ótima cozinheira. Comecei fazendo para mim, as pessoas gostaram e falaram que valia a pena investir nisso".

Ela revela que gosta tanto do que faz que o trabalho não sai da sua cabeça. "Às vezes, estou deitada em meu quarto e começo a pensar nas receitas, em mudar a forma de preparo, criar coisas diferentes... aí, dá certo e eu continuo inventando minhas ideias".

Dois anos atrás, Rosalina se estabeleceu no bairro Zumbi e, desde então - em sua residência, na Rua Colatina -, vive rodeada de pães recheados, balas de coco, torta, pudim, bolos, salgadinhos, docinhos, linguiça caseira, cachorro-quente, minipizza, musse, rosquinhas, empadão, sanduíche natural e outras iguarias, tudo feito no capricho.   

Os pães recheados e os salgadinhos são vendidos na rua, direto para o consumidor. "Percebi que vender na rua dava certo", diz. Ela, porém, também aceita encomendas (tefone: 28 99905 6696).   

O carro-chefe são os pães, cujas opções de combinação no recheio são diversas: peito de frango, presunto e mussarela; mussarela e presunto; queijo com goiabada (Romeu e Julieta); brigadeiro, entre outras.

"Quando eu saio para vender, não volto com nenhum, todos têm muita procura", comemora.       

Para fazer andar o seu negócio, Rosalina conta com a ajuda do marido, Romário Ribeiro do Nascimento, dos enteados, Rômulo e Ramon, da amiga Joice Lopes Cardoso, além da filha, Antonieta, que "adora trabalhar com chocolate, inclusive ovos de páscoa".  

Sobre a atual crise econômica brasileira, a microempreendedora considera: "O momento é muito difícil, vejo muita gente desempregada... meu marido, que é pedreiro, tem um mês e meio que está parado e tem me ajudado muito".  

Em Cachoeiro, na visão de Rosalina, a demanda por alimentos do tipo que prepara é grande. "Os consumidores estão valorizando mais os produtos caseiros".  

 

Bairro Empreendedor

Há seis meses, Rosalina - por meio do projeto Bairro Empreendedor (desenvolvido em parceria entre a Prefeitura Municipal e o Sistema S) - participou, em seu próprio bairro, de treinamento direcionado ao setor em que atua.

Ela reconhece que o curso a ajudou no aperfeiçoamento de sua técnica. "Para mim, veio no melhor momento, me ensinou muita coisa, me sinto mais evoluída".  

E isto tem refletido nas vendas: "elas aumentaram. Ainda houve feira no encerramento do curso, com excelente resultado. Minha linguiça, por exemplo, fez o maior sucesso".

Rosalina confessa que sonha em expandir o seu micronegócio. "Não quero ficar só nisso, quero crescer... quem sabe, ter uma pequena fábrica".

Fazendo por onde, "Rose do Pão", a cada dia, vai conquistando cada vez mais fregueses na região. "Me sinto realizada", garante.

 

 

Comments

SEE ALSO ...