Sem cobranças - Jornal Fato
Artigos

Sem cobranças

Esse é o mundo ideal para mim. Um mundo sem cobranças


Esse é o mundo ideal para mim. Um mundo sem cobranças. Um mundo em que fazemos o que é possível, dentro das nossas limitações, sem necessidade de justificativas. Amor, compromisso e reciprocidade são inerentes a natureza humana. E em geral somos naturalmente adeptos de Saint Exupery: Tu és eternamente responsável por tudo o que cativas. Se mantivermos portas e corações abertos, outras tantas se abrirão para nós. Se confiamos e acreditamos no outro, muitos acreditarão e confiarão em nós. Se no nosso dia a dia oferecemos rosas, seu perfume se propagará em nosso entorno. Nosso coração nos leva em direção de quem nos acolheu, sem restrições. E acatar as decisões é uma atitude de grande sabedoria, não temos a chave do coração do outro, não conhecemos a sua história. Então sem cobranças, por favor.

A vida se estrutura através da reciprocidade, colhemos o que plantamos. O reflexo condicionado de Pavlov é comprovado no dia a dia. Se encontramos portas fechadas em nosso caminho, passamos a evitá-las posteriormente. Toda ação corresponde a uma reação - se a solidão é nossa companheira inseparável, antes de reclamar e cobrar a presença de pessoas em nossa vida, o que fazemos para reverter essa triste situação? Quantos acolhemos em suas dificuldades? Quantas portas abrimos para que os amigos adentrem em nossas casas e em nossas vidas? Quantas visitas fazemos aos doentes? E quando doentes, quem levou consolo à nossa dor? O amor é um sentimento natural, ninguém coloca ou tira alguém da vida por imposição. E se não dermos nenhum passo em direção ou em busca do amor, não podemos cobrar correspondência por algo que não foi cultivado. Portanto, nada de cobranças.

Cada pessoa conhece a sua história, e esta deve ser respeitada. Não temos pretensão de sermos melhores - nem os melhores pais, nem os melhores avós, nem os melhores amigos, nem os melhores profissionais, nem os melhores nada, somos o que somos, e como tais queremos ser aceitos e acolhidos.  O que acontece ou deixa de acontecer são consequências, e cada um arca com as suas. Simples assim.

 

Marilene De Batista Depes

               

 

 


Comments

SEE ALSO ...