Salim - Jornal Fato
Artigos

Salim

De repente, uma irmã adentrou o escritório, e comunica: Achei o contato de Salim, Salim Caroni


De repente, uma irmã adentrou o escritório, e comunica: Achei o contato de Salim, Salim Caroni! Fiquei exultante, pois há muito não sabia do valoroso amigo. Meu estado era de euforia. Ávido, pedi que me desse as notícias, sobre sua localização, e como comunicar-me. O número de um celular. Obtive, e tentei, sem êxito, reiteradas vezes acessá-lo. Salim é médico e, por certo, deveria estar atendendo. Mandei-lhe mensagem, e fui correspondido pelo amigo. Pedi que aguardasse, pois ligaria. Finalmente, lhe falo. Era uma volta ao passado. Um passado maravilhoso, uma viagem cheia de sóis e ideias. Brincadeiras e diálogos.

Amigo querido que, desde muito cedo, já demonstrava suas futuras inclinações, parecidas com as do pai, o inesquecível e lendário - dr. Gilson Caroni, médico humanitário, prefeito de Cachoeiro. Daquele tipo de homem e político que, hoje em dia, existem poucos. De uma geração sagrada e mística. Enfim, o amigo Salim me conta sobre sua vida, e eu a minha. Conta-me que está feliz, radicado no sul, e com os filhos bem assentados na vida. Regozijo-me. Reminiscências pretéritas maravilhosas, a celebrarem a força e o valor da amizade e dos amigos. Agora o tenho de volta, e não perderei. Aliás, nunca nos perdemos, apenas tomamos rumos distintos. Todavia, em cada um de nossos corações essa amizade sempre gravitou, como gravita tudo, que é límpido, luminoso e bom. Salve Salim!

 

x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x

 

O dia se esvaia, degrau por degrau, quando se ia o sol, baixando faiscante, atrás da pedra ereta e azul

 

Meu animo, andarilho, cerrava meus cílios diante da luz, e meu corpo reclamava, decaindo, como uma vela que se apaga

 

Agora, sobre ela, rutilam as primeiras e milésimas estrelas. Cada uma centelha Cachoeiro. E grito: vivam fragmentos e arbustos. Viva a noite inteira, coberta por seus vultos

 

E o Itabira suspira, como quem sonha, da base até a ponta, sua única imagem a tocar o céu da cidade. Respira, agora, distante das intempéries o silencio dos minérios. O descanso da pedra.


Giuseppe D'Etorres Advogado

Comentários

VEJA TAMBÉM...