Férias, pra que te quero? - Jornal Fato
Artigos

Férias, pra que te quero?


Por inúmeros motivos eu quero, eu curto, eu necessito de férias.  Férias me remete a verão, Natal, Ano Novo e Carnaval, datas de grande simbolismo e significação - de alegria, união das famílias, descontração e muita curtição. Férias remete a viagens, a conhecer novos horizontes, a realizar sonhos e dar início a novos projetos de vida, ou simplesmente, dos antigos a reafirmação. Férias é tempo de ter todo tempo do mundo, de dormir ou acordar seguindo unicamente o ritmo do corpo e sem horários a respeitar, comer quando a fome apertar, sem relógios e sem nenhum tipo de coerção.

E caminhar contra ou a favor do vento, apreciando as pessoas descontraídas, curtindo a liberdade de ser feliz; as crianças correndo, brincando e gritando de satisfação, e pais apreciando a algazarra, plenos de orgulho e emoção. Praças, ruas, praias, clubes, espaços e brinquedos repletos de gente e animação.

Casa lotada, colchões esparramados, uns veem televisão, outros assistem filmes, uns cozinham e outros deitam nas redes curtindo a lassidão, e a maioria com celulares nas mãos. Camas por arrumar, jornais, livros e revistas espalhados pelo chão. Pouca roupa, maquiagem nenhuma, sol na pele, cabelos soltos e desgrenhados. Férias de tudo, cuidados só os essenciais ou de obrigação.

Nas ruas uns caminham, outros correm, casais se abraçam, carinhos em profusão. Tempo ideal para amar e dar espaço para afetos e coisas do coração. Tempo de curtir novos amores, reatar ou deletar o que não resulte em emoção, afinal é o período de plenitude da tesão. Por conta do calor, lagoas, cachoeiras, piscinas e principalmente praias lotadas, espaços democráticos a unir todos sem discriminação, ao sol, na areia, na água, sem preconceito e sem preocupação. Vendedores ambulantes em profusão - picolés, salgados, milho, cocos, o alimento é um só para a multidão. Uns jogam bola, outros mergulham nas ondas, crianças montam castelos de areia, muita algazarra e diversão.

As sorveterias repletas, assim como as pizzarias, restaurantes, bares e quiosques, todos comem e bebem muito, essa é a constatação. A impressão é que tudo possui mais intensidade, pessoas e situações. As casas estão abertas, varandas repletas, alegria em profusão. Por essas e outras, das férias não abro mão!

 

Marilene De Batista Depes

 

 


Comments

SEE ALSO ...