Anair: superando o câncer - Jornal Fato
Artigos

Anair: superando o câncer


Há alguns dias fiz um texto que discorria sobre a luta de quem enfrenta o tratamento para a cura do câncer. Na oportunidade, eu afirmei que quem enfrenta essa doença vira um guerreiro que luta em prol da vitória que é a vida, jamais a morte.

Em decorrência do texto, tive a oportunidade de conversar com algumas pessoas admiráveis que se identificaram com o texto, seja porque são os guerreiros centrais, seja porque são guerreiros a fortalecer filhos, ou outros parentes, amados. Deixo minha homenagem especial ao Fabinho e ao Fernando que sofrem as sequelas dos conflitos, respectivamente, no corpo e na alma, este ao ver o guerrear da sua pequena herança, amada filha.

Deixo minha homenagem e oração a todos que enfrentam direta ou indiretamente o árduo caminho rumo ao fim dessa guerra. Deixo ainda o exemplo de minha mãe, Anair: mulher de fé; guerreira; cheia do Espírito Santo de Deus que, esses dias, disse que gostaria de gravar suas lutas com fim de ajudar outras pessoas na superação.

Minha mãe descobriu um câncer de cabeça de pâncreas no dia 02 de agosto do corrente ano, dia em que fez uma ressonância específica das vias biliares e pegou o resultado. Resultado esse que sugeria provável metástase no fígado, o que significava poucos meses de vida. Minha mãe estava internada. Eu e meu esposo fomos os primeiros a saber do diagnóstico e, confesso, não consegui, naquele dia, vê-la outra vez. Fui direto para uma adoração ao santíssimo e lá derramei aos pés de Cristo minha mãe, mulher que não sabe reclamar; que viveu para os 04 filhos; à época, com apenas 59 anos de idade e com aparência bem mais jovem.

Na sexta-feira cedo, dia 03 de agosto, voltei para o hospital Santa Casa. Ao chegar, ela já sabia do diagnóstico. O Dr. Wirlei, médico muito atencioso, já tinha passado para visitá-la e, antes de falar algo, minha mãe, ansiosa que é, lhe perguntou:

- Dr., pode me falar: estou com câncer, né? A gente conhece nosso corpo e sei que algo diferente está acontecendo.

O médico confirmou e, na oportunidade, ela disse: Deus é Deus me curando ou não, mas farei tudo para ser curada.

No mesmo dia foi para o Hospital Evangélico; ficou internada e, sob os cuidados admiráveis do Dr. Pulido e do Dr. Rogério Dardendo, já fez 01 cirurgia, 03 quimioterapias mais fracas; 03 quimioterapias agressivas de 48 horas seguidas e hoje, dia 27/11/2018 está fazendo a segunda cirurgia. Nesta irá retirar um pedaço do pâncreas; um pedaço do estômago; o duodeno e sei lá mais o quê, logo, é uma cirurgia de risco, mas imprescindível.

Apesar disso, Anair continua surpreendendo: permanece linda, serena, com as taxas dos exames de sangue equilibradas, alimentando-se bem. Alguns fios de seus cabelos negros e lisos caíram, mas nem deu diferença... Muitos amigos vão visitá-la achando que vão encontrar uma moribunda, mas se surpreendem com a força que ela tem; com a beleza e com a tranquilidade. Apesar de alguns conflitos que tem vivido, estes alheios a sua responsabilidade e diversos do tratamento, já muito danoso, foi para o hospital dizendo:

- Não estou preocupada com a cirurgia! Melhor nem pensar, pois escolho viver um dia de cada vez... e deixar Deus a frente...

Diante de uma alma tão admirável não poderia me calar; não poderia me omitir. Isso porque, por certo, existem muitas almas lindas e amadas guerreando arduamente contra o câncer. Apesar do sofrimento que a luta causa: NÃO DESISTAM, NÃO FRAQUEJEM EMOCIONALMENTE e saibam que DEUS age no que é impossível aos olhos humanos e torna mais leve e suave as dores quando estas são inevitáveis. Isso aprendi com minha mãe.

Assim, desejo a força e o milagre de Deus na vida de todos que tem enfrentando essa doença. Para minha mãe, reforço que não está sozinha. O mundo pode causar dor, pode trazer incompreensões, pode nos por de frente ao desamor, à maldade e a doenças, mas você só plantou amor. Assim, não se esqueça de que muitas pessoas, especialmente, seus 04 filhos amam, amam e amam sempre você. Você que, além de mãe, de agosto para cá, tornou-se exemplo de ser humano e de cristã a todos que se aproximam de você.

Para Deus, deixo meu infinito obrigada porque nos fortalece e faz enxergar além de nossa pecadora e frágil humanidade. A Deus toda honra, glória e louvor e aos amigos peço mais orações.

 

Katiuscia Oliveira de Souza Marins  


Katiuscia Marins Colunista/Jornal Fato Advogada e professora

Comments

SEE ALSO ...