A alegria do reconhecimento - Jornal Fato
Artigos

A alegria do reconhecimento


Na hora de escrever esse texto fiquei em dúvida de qual título usar porque meu pensamento oscilava entre qual foco seguir. Primeiro eu queria simplesmente agradecer, depois pensei que poderia incentivar o agradecimento; daí optei pela primeira ideia, que foi tipo aquela que veio mesmo de dentro, da imaginação.

Quando comecei a divulgar meus textos foi meio que uma forma de me encorajar a encarar o mundo. Não tinha a ver com quem ia ler, se iam gostar ou se iria receber críticas ou elogios. Era apenas eu me permitindo.

Já no primeiro texto recebi um feedback sensacional, inclusive de profissionais e amigos jornalistas que admiro. Isso foi como um combustível premium pra mim. A empolgação correu nas minhas veias que daí vieram novos e novos textos.

Lembro que quando escrevia o segundo ou terceiro texto, eu sentia um calafrio só de imaginar as retaliações. Porque o primeiro é sempre bem recebido, mas o segundo poderia não ser. No entanto, para minha surpresa vieram novos retornos positivos. Tinha gente reconhecendo aquilo que eu transformava em palavras.

Então, eu já estava mais confiante. Iniciava ali, a criação da minha própria identidade e isso me fazia e faz muito bem. Daí, os comentários foram aumentando e algumas frases, semelhantes em alguns leitores me encheram de tanto orgulho que comecei a entender que realmente tudo tem um propósito.

Eu achava que escrevia somente para desabafar, me sentir livre e compartilhar alguns pensamentos, mas na verdade, vi que minhas singelas palavras voltavam pra mim com tanta riqueza e nobreza que não pode ser outra coisa além dos planos de Deus. Ele realmente me ama!

Ouvi muita gente usando a seguinte frase em relação aos meus textos: "Me identifiquei ali, deu vontade de ler mais e mais? Não pare de escrever." Uma das vezes que ouvi isso foi na noite de Natal. Consegue imaginar a minha alegria? Foi um grande presente. E esse comentário foi feito por mais gente? Me senti tão acompanhada e acolhida, que mesmo quando estou sozinha, sentada e escrevendo não tenho solidão.

Sinto o carinho de cada um de vocês! E isso é magnifico! Não tenho como agradecer. Agora, só aproveito, pra despertar em todo mundo essa linda atitude de reconhecer o próximo quando necessário. Como me sinto viva com cada leitor que se identifica, desejo que todo mundo se sinta assim também.

Só resolvi escrever sobre isso, porque um sentimento bom desse não pode ficar só comigo. Todo mundo merece! Me comprometo a elogiar cada vez mais as pessoas ao meu redor e te provoco a prometer o mesmo.

Mais uma vez, obrigada leitor! Você não faz ideia do quanto me faz bem!


Bruna Hemerly Jornalista Jornalista | Assessora | Articulista

Comments

SEE ALSO ...