Cuidadora enfrenta pela 3ª vez o câncer de mama - Jornal Fato
Saúde

Cuidadora enfrenta pela 3ª vez o câncer de mama

Os tumores apareceram em regiões diferentes das mamas esquerda e direita. Autoexame foi essencial para o diagnóstico precoce e o tratamento


?Não perca a fé nem a felicidade, porque, enquanto você estiver respirando, sempre há uma solução?, diz Luzimar Souza

Em 2014, a cuidadora de idosos Luzimar Souza, de 48 anos, pouco antes de fazer a mamografia anual, notou um pequeno nódulo no seio esquerdo, enquanto o apalpava. O câncer de mama se confirmou por meio de uma biópsia, dias depois. "Naquela hora, parece que se abriu uma cova, pronta para enterrar", disse.

Ela precisou ser operada. Retirou a mama acometida, fez um ano de quimioterapia, viu os cabelos que amava caírem e usou peruca. "Fiquei mais triste com a queda do que quando recebi o diagnóstico", afirmou.

Mas a cuidadora de idosos não desistiu da luta. Apesar de ter parado de trabalhar em função do tratamento, voltava sempre que podia para visitar os amigos, com permissão do médico.

Recuperada, após um ano do fim do tratamento, outro nódulo foi detectado, agora na mama direita, que também precisou ser retirada depois da confirmação do câncer. "Foram mais seis meses de quimioterapia, desta vez sem queda de cabelo", contou, para seu alívio e alegria.

O que Luzimar Souza não esperava era que, novamente, depois de todos os procedimentos e tratamentos, tivesse que enfrentar outro tumor na mama direita, no final de 2017. Mais uma vez, passou pela quimioterapia e ainda por 25 sessões de radioterapia, que terminam em outubro.

O que deu força para ela enfrentar tudo isso de cabeça erguida? "Deus em primeiro lugar. A gente tem que ter muita fé para viver. O apoio da minha família também foi muito importante para me ajudar", apontou.

A cuidadora de idosos faz ainda recomendação para outras mulheres que vivem experiência semelhante. "Não adianta ficar triste, apesar de fazer parte. Não perca a fé nem a felicidade, porque, enquanto você estiver respirando, sempre há uma solução", completou feliz.

 

Autoexame

A médica rádio oncologista Anne Karina Kiister Leon, do Instituto de Radioterapia Vitória (IRV), reforça que, assim como Luzimar, as mulheres precisam conhecer o seu corpo sem medo, pois é assim que saberão o que está certo ou errado e o momento de procurar um médico.

"O autoconhecimento é fundamental. Tocar-se sem pudor, observar manchas na pele e a textura dos seios, acompanhar o ciclo menstrual e não mascarar dores tomando remédios sem orientação médica são algumas das atitudes que podem salvar vidas. Afinal, o diagnóstico precoce de qualquer doença contribui para um tratamento mais eficaz", pondera.

 

Estatísticas

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), são esperados 59,7 mil novos casos de câncer de mama no País até o fim do ano. No Espirito Santo, a estimativa é de 1,1 mil novos casos.

Comentários

VEJA TAMBÉM...