Prefeito analisa processo sobre venda da Odebrecht - Jornal Fato
Política

Prefeito analisa processo sobre venda da Odebrecht

Até o final deste mês deve haver um posicionamento a respeito do assunto


Embora não haja dúvidas sobre a regularidade da transferência, Victor é instado a apurar se houve omissões no processo

O prefeito de Cachoeiro, Vitor Coelho (PSB), ainda não se posicionou sobre recomendação da Comissão de Acompanhamento da Câmara Municipal e da Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Cachoeiro de Itapemirim (Agersa), quanto à abertura de processo administrativo próprio para apurar detalhes da venda da Odebrecht para BRK.

Conforme resposta da assessoria de Comunicação da Prefeitura, "o gabinete do prefeito Victor Coelho está analisando o processo. Até o final deste mês deve haver um posicionamento a respeito do assunto", encerra-se a nota.

A recomendação de ambos relatórios, da Câmara e Agersa, após longo Procedimento Administrativo Municipal instaurado em abril do ano passado, é de que a atual administração deve constatar definitivamente a capacidade da concessionária de abastecimento e saneamento do município, BRK Ambiental, de atender a demanda local e ainda, em caso de resposta positiva, reafirmar a anuência do Executivo sobre a concessão do serviço para a multinacional.

O processo em análise, no caso, seriam cerca de 600 páginas de documentação acerca do processo de transferência do controle acionário da Odebrecht para a BRK, ocorrido na administração passada.

O documento apontou completa regularidade no processo de transferência acionária, mas citou possível omissão da administração passada exatamente quanto à capacidade logística da futura concessionária em atender a demanda de Cachoeiro.

O ex-prefeito de Cachoeiro, Carlos Casteglione (PT), já havia declarado que tem como emitir opinião sobre o tema porque não foi comunicado oficialmente do resultado dos relatórios da Comissão Especial de Acompanhamento da Câmara nem mesmo o da Comissão da Agersa.

Ele alega que também não foi ouvido em nenhum momento por quaisquer das comissões, bem como não teve acesso ao processo e toda documentação anexa.

Comentários

VEJA TAMBÉM...