Notícias

PDT quer ter candidato a prefeito


Menos de dez dias depois do término das eleições deste ano, o PDT já começou a pensar a de 2016, quando serão eleitos prefeitos e vereadores. Em reunião em Vitória, o presidente estadual do partido, Sérgio Vidigal, deu sinal verde para a construção de candidatura majoritária em Cachoeiro.

De acordo com Marcos Fabre, a primeira etapa será a construção de projeto coletivo com filiados e sociedade durante o ano que vem, com o objetivo de fortalecer o partido.

"Precisamos deixar de lado os discursos raivosos e preconceituosos, melhorar a gestão dos serviços públicos e apoiar iniciativas filantrópicas e particulares para cuidar melhor das pessoas - este é o grande objetivo do PDT"?, diz Fabre, reproduzindo fala de Vidigal.

A última vez em que o PDT compôs chapa majoritária foi em 2008, o hoje vereador Alexandre Maitan representou o partido como vice na chapa encabeçada por Theodorico Ferraço (DEM), que acabou derrotada.

O partido elegeu um vereador e, no ano seguinte, passou a dar apoio à administração do prefeito Carlos Casteglione, inclusive na reeleição, em 2012, em que novamente elegeu um vereador e outro assumiu cadeira com a ida de Marcos Mansur (PSDB) para a Assembleia Legislativa, no ano passado.

Nas eleições deste ano o PDT coligou novamente com o PT. No Estado, foram eleitos três deputados federais (um do PDT e dois do PT) e cinco estaduais (dois do PDT e três do PT).

 

Vereador diz que não há favoritos

Alexandre Maitan, que já foi candidato a vice de Ferraço, diz que nem o demista venceria eleição majoritária

 

O vereador Alexandre Valdo Maitan (PDT) fez, na terça-feira, discurso sobre o cenário político-eleitoral em Cachoeiro de Itapemirim. Ele não vislumbra qualquer liderança forte o suficiente para assumir o favoritismo na disputa pela Prefeitura de Cachoeiro, daqui a dois anos.

"Mesmo (Theodorico) Ferraço (DEM), se candidato, não ganhará a eleição majoritária"?.

Maitan analisa que a oposição que deseja vencer o PT, precisa observar que o partido tem militância ativa e se orienta por pesquisas, o que não ocorre na maioria das agremiações.

"Quem quer ser candidato deve apresentar projetos viáveis para o município, levando em conta a escassez de recursos"?, recomenda.

Comentários

VEJA TAMBÉM...