Cachoeiro lança projeto para recuperar 1.500 nascentes - Jornal Fato
Meio Ambiente

Cachoeiro lança projeto para recuperar 1.500 nascentes

Produtor rural de Jabuticabeira, em Burarama, foi o primeiro a aderir à iniciativa


A prefeitura de Cachoeiro, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, lançou na última sexta-feira (23) a primeira etapa do projeto Nascentes Vivas. O objetivo da iniciativa, que conta com parceria da Secretaria Municipal de Agricultura e Interior (Semai) e da ONG Caminhadas e Trilhas, é recuperar, em três anos, 1.500 nascentes localizadas em áreas rurais de Cachoeiro.

A primeira etapa será direcionada a 200 nascentes da microbacia de Ribeirão Floresta, Mangueira e Bom Destino, abrangendo 16 localidades e distritos - entre eles, Burarama, Pacotuba e Conduru. Já estão cadastradas na Semma 85 propriedades dessa região, as quais recebem visitas técnicas para definir as ações junto aos proprietários.

"Essa região foi escolhida para o início do projeto porque relatórios da Defesa Civil, Semma e Semai apontaram como a área que mais sofreu com a estiagem", justificou no evento o secretário municipal de Meio Ambiente, Mário Louzada. "E não adianta só recuperar uma nascente aqui, outra em um lugar distante. O projeto só vai avançar se forem várias nascentes próximas em torno de uma mesma microbacia", complementou.

Para dar andamento ao Nascentes Vivas, a prefeitura busca a adesão dos proprietários dos locais onde ficam as nascentes, fornecendo a eles um kit com mourões, arame, grampos e, em alguns casos, mudas de plantas, de forma a proteger as nascentes de ações externas, como o pisoteamento de gado. O programa prevê também a realização de assistência técnica e oficinas de educação ambiental, envolvendo produtores, comunidades e lideranças locais.

"A nascente é uma riqueza não só pra mim. Vai servir a oito, dez famílias. Antigamente era assim", comentou José Lauro Pravato, produtor rural da localidade de Jabuticabeira, no distrito de Burarama, o primeiro a aderir ao projeto.

"Sabemos que os recursos hídricos têm sido muito mal tratados também na área urbana, e cabe aos produtores rurais a nobre tarefa de preservar as fontes das águas. Esta é uma iniciativa muito importante, e estamos à disposição para prestar todo auxílio que for necessário", afirmou o secretário municipal de Meio Ambiente, Robertson Valladão.

Também presente no evento, o prefeito Victor Coelho destacou a importância do projeto para minimizar os problemas decorrentes de períodos de baixo volume de chuvas no município. "Temos que estar preparados e prevenidos, protegendo o meio ambiente para que a nossa produção rural seja cada vez mais forte. Tenho certeza que o Nascentes Vivas será um sucesso. Contem com o nosso apoio", discursou.

Investimento

A primeira etapa do projeto Nascentes Vivas contará com R$ 418 mil do Fundo Municipal de Defesa Ambiental, repasse que teve a aprovação do Conselho Municipal de Meio Ambiente (CMMA). O projeto também deverá contar com recursos oriundos de compensações ambientais, entre outras fontes.

Como aderir

Para aderir ao programa Nascentes Vivas, o produtor deve procurar a sede da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) portando o protocolo do Cadastro Ambiental Rural (CAR). Após a realização do cadastro, uma equipe realizará visitas técnicas para avaliação da área.

A Semma está localizada na avenida Monte Castelo, 60, bairro Independência. O telefone de contato é o (28) 3155-5327.

Distritos e localidades envolvidas na primeira etapa do projeto Nascentes Vivas:

Pacotuba, Campos Elíseos, Mangueira, Jabuticabeira, Jacu, Pedra Lisa, Capoeirinha, Bananal, Banca de Areia, Conduru, Capoeirão, Bom Destino, Monte Alegre, Córrego Araponga, Burarama e Boa Conserva.

 

Comentários

VEJA TAMBÉM...