Profissionais debatem desafios do mundo contemporâneo - Jornal Fato
Geral

Profissionais debatem desafios do mundo contemporâneo

Mais de 600 pessoas ? entre diretores e gestores da rede estadual e secretários municipais ? participaram


Viviane Mosé falou sobre a crise civilizatória atual e a educação

Mais de 600 pessoas - entre diretores e gestores da rede estadual e secretários municipais - participaram, ontem, do XVIII Encontro de Gestores das Redes Públicas do Espírito Santo. O governador Paulo Hartung esteve na abertura do evento que contou também com as palestras da filósofa, poetisa e psicanalista Viviane Mosé e do professor titular da Cátedra Instituto Ayrton Senna no Insper e economista-chefe do Instituto Ayrton Senna, Ricardo Paes de Barros, que falaram sobre o mundo contemporâneo, os seus desafios e a sua relação com a educação.

Hartung aproveitou o evento para explicar as decisões que levaram o Poder Executivo Estadual apoiar a ida do professor Haroldo Rocha para o cargo de secretário executivo no Ministério da Educação. "Vai para Brasília auxiliar em questões importantes como a criação de base curricular comum no país. Ajudar a proteger as boas políticas que estão em curso e, também, para auxiliar na mudar de políticas equivocadas", afirmou o governador.

O secretário de Estado da Educação, Haroldo Rocha, ressaltou que o trabalho desenvolvido no Estado é conjunto. "Sigo para um desafio grande e compartilho esse reconhecimento com todos vocês que diariamente batalham pela melhoria da qualidade da educação capixaba. As escolas estão ganhando nova dinâmica perante a sociedade e, principalmente, aos jovens".

Viviane Mosé falou sobre a crise civilizatória atual e a educação. "O mundo passa por uma transição, para melhor. Vivemos uma revolução tecnológica. Precisamos educar os estudantes para projeto de pesquisa. É preciso provocar o interesse e fazer com que eles desenvolvam ferramentas. O modelo da educação hoje é para que cada um desenvolva o seu gosto na área que mais tem interesse. A gente tem que falar da vida nas escolas. Temos que discutir vida e morte com as crianças. Elas devem saber que a vida é frágil e que o colega é importante. É preciso ensinar as crianças a lerem o mundo".

O gerente de Desenvolvimento de Soluções do Instituto Unibanco, Alexsandro Santos, e o professor titular da Cátedra Instituto Ayrton Senna no Insper e economista-chefe do Instituto Ayrton Senna, Ricardo Paes de Barros, falaram sobre a implantação do desenvolvimento das habilidades emocionais no currículo das escolas públicas capixabas.

"O direito à educação está ligado ao socioemocional. O ritmo de estudo e aplicação desses programas têm acelerado nos últimos anos e o Espírito Santo é um dos estados que está bem à frente. Existem evidências de que o desenvolvimento intencional e explícito da dimensão socioemocional em sala de aula já vem sendo feito em vários lugares do Brasil e do mundo com excelentes resultados e eficácia comprovada. A Escola Viva, por exemplo, é uma metodologia que permite desenvolver o socioemocional em sala de aula", frisou Ricardo Paes de Barros.

O Espírito Santo planeja ser um dos primeiros estados brasileiros a incorporar o desenvolvimento socioemocional de forma estruturada na rotina da sala de aula. Para isso, a Sedu firmou uma parceria com o Instituto Ayrton Senna para promover essa incorporação à política educacional na rede pública de ensino do Estado.

Para a diretora da Escola Viva Francisco Coelho Ávila Junior, de Cachoeiro de Itapemirim, Fernanda Ferreira, esse encontro marca momento histórico que é a união entre as redes estadual e municipais. "É ocasião para festejar e de grande aprendizado. Hoje é dia de festejarmos os resultados que estamos obtendo com o excelente trabalho que estamos desenvolvendo na educação capixaba".

Comentários

VEJA TAMBÉM...