Hospital de Cachoeiro terá de regularizar cirurgias cardíacas - Jornal Fato
Geral

Hospital de Cachoeiro terá de regularizar cirurgias cardíacas

A falta desses serviços adequados e promovidos a tempo, tem causado mortes no Hospital Evangélico do município.


A Justiça determinou, a partir de uma Ação Civil Pública (ACP) do Ministério Público do Estado (MPES), a regularização, em até 60 dias, das demandas reprimidas de cirurgias cardíacas e implantação de marca-passo em Cachoeiro de Itapemirim.

 

O MPES incluiu na ação informações médicas de que o quantitativo reduzido dos serviços cardiológicos, a falta desses serviços adequados e promovidos a tempo, tem causado mortes no Hospital Evangélico do município.


Em 2009, foi firmado um convênio entre o HECI e a Secretária de Saúde do Espírito Santo (Sesa) que, contratualmente, limitou a realização de apenas 25 cirurgias cardíacas e sete cirurgias de implante de marca-passo. Entretanto, o MPES entendeu que o teto estabelecido passou a reduzir os atendimentos de adultos e crianças na espera pelos procedimentos.

 

Como não foram apresentadas propostas concretas para o aumento dos implantes, mesmo comprovada a necessidade da população, foi ajuizada uma ACP no início de maio de 2018.


Entendendo a urgência médica dos pacientes em obter os serviços de saúde, a Justiça determinou que o Estado preste os procedimentos apontados por meio do HECI.  A administração do hospital ficará encarregada de eleger os prestadores convenientes. 

 

Comentários

VEJA TAMBÉM...