Um Capacete para respirar embaixo d'água - Jornal Fato
Fato Inovador

Um Capacete para respirar embaixo d'água

O capacete ORB Scuba Diving é um respirador de oxigênio conceitual, um projeto final após 3 anos de trabalho do designer Thomas Winship


As inúmeras teorias apocalípticas espalhadas na Internet têm uma previsão catastrófica em comum: Todas apontam para o derretimento das calotas polares e, consequentemente, para a necessidade de os humanos aprenderem a viver num hipotético "Planeta Água".

Nessa levada, surgem conceitos que buscam viabilizar a respiração autônoma embaixo d'água, para além dos atuais equipamentos pesados, volumosos e desconfortáveis.

O capacete ORB Scuba Diving é um respirador de oxigênio conceitual, um projeto final após 3 anos de trabalho do designer Thomas Winship, da Universidade de Staffordshire, Inglaterra.

O capacete de mergulho futurista usa uma tecnologia moderna conhecida como "re-respiração" para o mergulhador reciclar seu próprio oxigênio, permitindo-o, literalmente, respirar embaixo d'água. 

Ele é composto por camadas de materiais resistentes à pressão. A camada exterior e das extremidades são feitas de plástico ABS. Usa Bluetooth para a comunicação entre mergulhadores.


iPhone X versus Google Pixel 2 XL: qual é o melhor?

 

O site americano Cnet comparou o iPhone X, da Apple, com o Pixel 2 XL, do Google.

Design: O Pixel 2 XL ganha com sua tela de maior resolução, mas o iPhone X vence em estilo e elegância.

Câmera: O iPhone X é melhor para se manusear ao tirar fotos e gravar vídeos, mas o fantástico alcance dinâmico do Pixel 2 XL tira fotos mais brilhantes.

Desempenho: Se deseja velocidades de processamento extremamente rápido, o iPhone X tem isso, mas, se você quiser bateria duradoura, use o Pixel 2 XL.

Software: É uma questão de gosto. O iPhone X utiliza o iOS 11. O Pixel 2XL utiliza o Android 9.0 Pie.

Preços nos EUA: IPhone X: US$999 (64 GB), US$1.149 (256 GB). Pixel 2 XL: US$849 (64 GB), US$949 (128 GB).

Veja no site (em inglês)


 

Não faça "barraco" nessas eleições! 

Que coisa ridícula essa gente que diz não gostar de Política, mas não sai das publicações dos Políticos nas redes sociais, onde promove baixarias e profere palavras que jamais usaria na "vida real"!

É gente que se rebaixa à vulgaridade sob a "desculpa" de que nenhum político presta e, portanto, que todos merecem ser "crucificados", "açoitados" e "apedrejados", com grosserias, na "praça pública" da Internet.

Sinto vergonha alheia de gente assim. Não entendeu o que significa Cidadania ainda.

Por pior que seja o Político, e alguns são horríveis mesmo, a baixaria que alguém faz contra ele no mundo virtual diz mais a respeito do (a) barraqueiro (a) do que a respeito dele, Político. E não é coisa boa o que esse tipo de desequilíbrio emocional, histérico, diz.

Democracia pressupõe o convívio pacífico entre contrários. O debate no campo das ideias. Debate, quando produtivo, tem regras. As regras estão implícitas na Educação que a gente recebeu, no (a) cidadão (ã) que a gente é na Sociedade e no grau de Inteligência Emocional, capaz de desejar, favorecer e estabelecer o diálogo de alto nível, que a gente tem. E não a agressividade verbal.

As Eleições deste ano têm uma característica diferente das anteriores: As propostas serão majoritariamente debatidas na Internet, nas redes sociais.

Não seja dessas pessoas amargas, que todo mundo bloqueia porque não têm Maturidade Política, não estão preparadas para conviver na Democracia!

Cobre, mas seja Educado (a)!

 

Joaquim Neiva é Jornalista e Gestor de Marketing Digital e Mídias Sociais na Empresa Fazejamento Digital. (WhatsApp: 28 98814-6228)


Não deixe que a ansiedade acabe com o seu marketing digital

A internet é capaz de oferecer diversas formas de atuação, números e, com o excesso de informação, se não priorizar e deixar para fazer um por vez, acabará tendo problemas na execução, ou nem chegará a ela.

E mais, o comportamento do seu público é diferente nos canais digitais. Nesse mundo, ele tem o controle das informações, ele decide quando e onde comprar e o que compra. Diferentemente das mídias tradicionais.

O importante é ter a consciência da complexidade que o marketing digital tem a oferecer. Com tantos meios de se comunicar, novas ferramentas e possibilidades surgindo a todo o momento que, se você não se habituar a elas, ficará defasado, não podemos nem ao menos conversar sobre nos eventos de marketing.

E você sabe que tem que investir no marketing digital. Assim, você consegue competir com qualquer um, além de aumentar as suas possibilidades e não deixa nenhuma oportunidade passar.

 

Muita informação

O marketing digital tem na subjetividade o seu grande lance. Você não consegue obter uma verdade absoluta sobre o marketing digital, não possui nenhum órgão para centralizar as informações e pedidos, nem terá aquele que diz se está certo ou errado.

Isso faz com que os profissionais da área estejam sempre em busca de novas informações. Tendo mais facilidade ao acesso, na internet você consegue encontrar diferentes meios para obter respostas que esteja procurando, mais ainda sobre o marketing digital.

Com isso, você acaba tendo um excesso de informação, sempre com assuntos importantes e com pessoas técnicas falando sobre eles.

 

Por que existe a ansiedade?

O que causa a ansiedade, não só no mundo virtual como no mundo real, é a quantidade de informação, tudo aquilo que você recebe no dia a dia e precisa processar. E isso faz surgir a ansiedade que deixa qualquer um vulnerável ao excesso produzido no dia.

Mas vai além. O corpo possui um limite de absorção de informações e que ainda é capaz de se adaptar a diferentes mudanças de contexto e melhor, consegue ignorar as coisas que não interessam. Isso mostra que apenas o excesso de informação não é a reposta para a ansiedade. A pessoa não consegue absorver tudo que chega a ela. Primeiro que ela não tem o interesse em tudo. Segundo que ela não consegue. Por isso que existe a prioridade de determinados assuntos.

O que causa ansiedade nas pessoas, e nas empresas é o medo de ficar para trás. O conhecimento é subjetivo e, até que se prove o contrário, é interessante e faz sentido, mais ainda quando constitui uma oportunidade. Isso significa que, quando o Linkedin fala sobre uma nova rede social, você terá que ler sobre.

Isso mostra que, na prática, a sua empresa não quer abrir mão de nada, assim como você. Ambos querem saber de tudo, estar por dentro de tudo. Contudo, você não consegue. Simplesmente porque não é possível humanamente, saber de tudo. E não se frustre com isso. É absolutamente normal!

 

Cleiton Martins é especialista em vendas online

 

Comentários

VEJA TAMBÉM...