O 1º Smartphone Holográfico - Jornal Fato
Fato Inovador

O 1º Smartphone Holográfico

Holograma é aquela imagem tridimensional que você já conhece dos selos de segurança e até mesmo de algumas fotos.


Seu celular pode tirar fotos incríveis e até mesmo rodar games cheios de gráficos,mas... tem hologramas?

Holograma é aquela imagem tridimensional que você já conhece dos selos de segurança e até mesmo de algumas fotos.

As Empresas de telefonia americanas AT& T e Verizon anunciaram este mês que começarão a vender um smartphone holográfico ainda este ano.

O smartphone Red Hydrogen One é o primeiro telefone da Empresa de equipamentos de vídeo Red.

O recurso matador do telefone Android é um "display holográfico" que projeta imagens em 3D que podem ser visualizadas sem óculos especiais.

Também incluirá câmeras para capturar as imagens 3D personalizadas.

O telefone estará disponível nos EUA ainda este ano.

O preço varia de US$1.295 para um modelo de alumínio a US$1.595 para uma opção baseada em titânio.


O 1º submarino elétrico 1

Com carros, motos e aeronaves, o transporte elétrico parece ser a bola da vez em nossas vidas. Mas as grandes Empresas não cansam de nos surpreender com seus lançamentos. Por exemplo, recentemente, o fabricante de carros premium Aston Martin disse que seu novo modelo não será um carro, mas um submarino. E funcionará com eletricidade.

 

O 1º submarino elétrico 2
Para concretizar o que foi concebido, a Aston Martin une forças com o fabricante civil de submarinos Triton. O novo projeto foi chamado de Project Neptune Sub, e os engenheiros das Empresas trabalharam por um longo tempo no "equilíbrio certo entre hidrodinâmica, estilo e luxo". O design do corpo se assemelha aos melhores carros de James Bond.

 

O 1º submarino elétrico 3
A velocidade do submarino, no modo de barco, será de cerca de 9,2 quilômetros por hora, mas será muito maior sob a água, no modo submarino. O Neptune Subem si poderá acomodar 2 pessoas e poderádescer a uma profundidade de 500 metros. Uma carga de bateria é suficiente para 12 horas de admiração do mundo subaquático. 


Ferrovia volta ao debate como solução

 

Segundo dados do Plano Nacional de Logística (2015), os caminhões são responsáveis por 65% do transporte inter-regionalde cargas no Brasil. Uma dependência pior que a do crack.

O chamado "rodoviarismo" (prioridade ao transporte rodoviário, em detrimento do ferroviário e aquaviário) começou com o Presidente Juscelino Kubitschek, que ergueu Brasília no interior do Brasile comprometeu praticamente todo o orçamento com a construção de rodovias. Rodovias importantes, é bem verdade.

A ditadura militar manteve a política "rodoviarista" com o Programa de Integração Nacional (PIN), que visava a uma maior ocupação do Centro-Oeste e da Amazônia.

Atualmente, mais de 62% do Sistema de Transporte Brasileiro é rodoviário (61,1% pelo IBGE/2014).

O ex-presidente José Sarney (1986-1989) tentou ligar os extremos do país por malha ferroviária, iniciando a construção da Ferrovia Norte-Sul. A obra ficou paralisada nos anos 1990, sendo retomada nos governos dos ex-presidentes Lula e Dilma. Atualmente segue aos trancos e barrancos.

O alto custo de manutenção das rodoviascomeçou a ser repassado aos usuários, por meio dos pedágios, nos anos 1990,com Collor, que também iniciou a privatização das ferrovias, quando incluiu a Rede Ferroviária Federal S.A. (RFFSA) no Programa Nacional de Desestatização. As concessões ocorreramentre 1996 e 1999, no governo Fernando Henrique.

Essa Greve dos Caminhoneiros reabriu o debate sobre a retomada das ferrovias comoalternativa barata, que diminua os riscosde o país ficar refém de uma única categoria ou segmento logístico.

Vamos acompanhar!

 

Joaquim Neiva é Jornalista e Gestor de Marketing Digital e Mídias Sociais na Empresa Fazejamento Digital. (WhatsApp: 28 98814-6228)


Motivação sem estratégia é um tiro no pé!

 

Eu tenho visto muitas empresas ou até muitas pessoas iniciar seus projetos na internet. E o que acontece? Criam site, fanpage, canal no youtube, instagram, um monte de coisa na internet. Começam muito bem, um mês, dois, três, quatro..., até anos, mas não conseguem resultado.

Percebo: não adianta estar muito motivado se não tem estratégia. A motivação é muito importante porque faz com que se tenha gás, para tocar o projeto. Mas, sem estratégia, planejamento, você vai andar em círculos. É estar na academia, correndo numa esteira. Ao final, o esforço foi feito, mas você não saiu do lugar.

Antes de ir para o ambiente online, faça planejamento para o seu negócio. Criaruma fanpage com um ou dois cliques é rápido, mas o resultado não vem mesma velocidade. Pessoas e empresas querem pular a etapa do planejamento. Você pode economizar muita grana se planejar antes. É o maior erro que se pode cometer

Algumas pessoas, com problemas semelhantes me procuram.Antes mesmo de analisar o produto, faço algumas perguntas para entender o método que utilizaram, se fizeram mínimo de planejamento.

No meu questionário estão itens como: análise de concorrência, a proposta de valor da empresa, a definição de público alvo, a necessidade, o desejo, o problema que resolverão para o cliente...É o básico, mas maioria, não faz. Apenas cria diversos canais, e ficam esperando ter resultado, que não vem.

E quando as coisas dão errado é muito comum ouvir dos empreendedores que a internet não funciona. Pessoal, funciona.Muito! Mas tem que ter estratégia definida e saber usar.

Quando você não planeja seu negócio online vão acontecer duas coisas: perdade muito tempo. E tempo, é dinheiro. Então antes de ir para o ambiente online, planeje. Tenho certeza que você vai estar na frente de 90% das pessoas que naufragam na internet por navegar sem saber para onde ir.

 

Cleiton Martins é especialilsta em venda online

 

 

Comentários

VEJA TAMBÉM...