A realidade aumentada da Leap Motion - Jornal Fato
Fato Inovador

A realidade aumentada da Leap Motion

É um dispositivo de AR (Realidade Aumentada) com um ângulo de visão de 95°


A Leap Motion acaba de mostrar uma plataforma protótipo para desenvolvedores chamada Project North Star.

É um dispositivo de AR (Realidade Aumentada) com um ângulo de visão de 95°.
O acessório é equipado com duas telas numa diagonal de 3,5 polegadas, resolução de 1600 x 1440 pixels e taxa de quadros de 120 Hz.

Os sensores da North Star rastreiam o movimento das mãos e de cada dedo dentro de 95° na horizontal e de 70° na vertical - mais que quaisquer outros existentes no mercado de AR.

A AR é diferente da Realidade Virtual porque, enquanto na segunda há uma imersão no virtual, na primeira você vê o mundo real, complementado das informações virtuais.

As promessas de aplicação vão de manual virtual para mecânicos até instruções para médicos cirurgiões.


Suécia testa estrada para carregar carros elétricos 1

A Administração Sueca de Transportes abriu um trecho de 2 km (1,2 mi) de estrada eletrificada. O projeto, apelidado de eRoadArlanda, envolve a inserção de trilhos elétricos na superfície da estrada para alimentar veículos elétricos. 

Suécia testa estrada para carregar carros elétricos 2

Para os suecos, se os veículos elétricos forem se tornar mainstream (tendência dominante), a infraestrutura em torno deles precisa ser a mais conveniente possível. Já existem projetos de linhas de carregamento sem fio ou os eHighways da Siemens que usam cabos aéreos. A inovação sueca é uma releitura de velhas ideias.

 

Suécia testa estrada para carregar carros elétricos 3

No projeto, a eletricidade de duas pistas paralelas alimenta um veículo por meio de um braço preso na parte de baixo do carro. O braço é retrátil e ligado a sensores. Ele só se estende para baixo quando está acima dos trilhos. Se o carro precisar ultrapassar ou sair da estrada, o braço se dobra para trás e o veículo consome energia da bateria.


Mindset: A Singularity University

 

Este não é o texto de um vira-lata.

Vira-lata, segundo a genialidade de Nelson Rodrigues (www.goo.gl/VMms5a), é o brasileiro idiota que endeusa os americanos e esculhamba com o Brasil e brasileiros como ele.

Abrirei aqui um debate baseado em constatações, não em "vira-latismo".

Importamos o pior tipo de mindset dos Estados Unidos: as intolerâncias racial, sexual, ideológica, religiosa, social etc. Trouxemos apenas o pior do pior. Não trouxemos nem mesmo o menos pior do pior, que é a cultura de que, seja você quem for, goste de você ou não, se tiver potencial, vou te promover e vamos ganhar dinheiro juntos.

Isso é bem mercenário, é verdade, mas foi assim que muitos negros, mulheres, livres pensadores, religiosos defensores dos Direitos Civis e pessoas de passado humilde, com seus talentos e relevâncias, conseguiram alcançar protagonismo na cultura americana.

É assim que a Singularity University (www.goo.gl/oWw4gu), a universidade da NASA no Vale do Silício, faz. Só aceita pessoas, digamos, diferentes, pois acredita que a diversidade gera inovação e, consequentemente, mais grana. Espertos.

No Brasil, nessa pseudotolerância hipócrita, se você não for homem, branco, heterossexual, alinhado às religiões formais e de berço de ouro, seu caminho é bem limitado. É claro que existem exceções, mas a regra é essa. Vão te diminuindo as oportunidades até você entender "onde é o seu lugar". O preconceito é maior até que a ganância.

Alguma dúvida sobre porque estamos onde estamos?

 

Joaquim Neiva é Jornalista e Gestor de Marketing Digital e Mídias Sociais na Empresa Fazejamento Digital. (WhatsApp: 28 98814-6228)


Você já parou pra pensar quais são os seus concorrentes?

A forma como essa disputa de concorrência é realizada mudou muito nos últimos anos. Por mais que no lugar onde esteja instalada a sua loja, nessa mesma rua, um outro comerciante abra ou tenha uma loja oferecendo os mesmos produtos e serviços que você, não significa que ele é o seu maior concorrente. Em relação à região onde estão sim, mas esse é apenas um detalhe se for levar em conta à complexidade que o mercado pode oferecer.

Nem mesmo o comerciante que faz um anúncio na Televisão pode ser considerado o seu concorrente forte. Os seus maiores concorrentes são as empresas que conseguem se instalar na mente das pessoas, e você não faz nem ideia de quem podem ser. Eles vão até onde o consumidor pode comprar, oferecendo uma proposta com valor diferenciado, custando bem menos do que se custa. Eles são os tubarões, ou seja, as grandes empresas que, por mais que não estejam na mesma rua que a sua, eles disputam clientes com você de igual para igual, sabe o motivo? Eles estão na internet.

Observe este trecho retirado da Época Negócios:

"O Mc Donald's tem uma estratégia muito agressiva na internet como canal de venda. O vice-presidente de marketing e comunicação da empresa, Mauro Multedo, informa que hoje 20% das vendas de delivery são provenientes da internet. "Esse percentual deve aumentar rapidamente para 50% quando passarmos a permitir o pagamento com cartão de crédito online", diz.

Atualmente, as ações de marketing se mostram cada vez mais nas redes, mesmo que você não consiga enxergá-la. E assim, ela consegue mensurar seus resultados e avaliar o impacto que elas têm sobre os negócios. O seu real concorrente está a todo momento "roubando" os seus clientes e você não consegue perceber como é que ele está fazendo isso.

O seu concorrente invisível entra nas casas dos seus clientes sem que você saiba quem ele é. De forma silenciosa, sem fazer qualquer tipo de propaganda espalhafatosa, seja em outdoor ou televisão. É um tubarão forte que tira os seus clientes da sua empresa e você não sabe nem o motivo disso.

Esse tubarão se mostra de diferentes formas. Está na internet sem sombra de descanso, interagindo com os seus clientes, ganhando-os com suas atratividades, aliando-os à sua marca, com seus produtos e serviços mais em contas que o seu.

A Casa & Vídeo, uma loja muito presente e atuante no estado do Rio de Janeiro, faz diversos anúncios em várias cidades do país, sem ao menos ter uma loja física sequer, levando os seus leitores a visitarem a sua loja física.

Imagina a cidade onde você more. Observando as lojas, verá que aquelas que são as mais conhecidas não são as mesmas que dominam o comércio de eletrônicos da sua região. Duas lojas que não possuem ambientes físicos, mas ainda assim possuem milhares de clientes são a Submarino e o Mercado Livre.

A palavra concorrência ganhou um novo significado. Não é mais aquela loja vizinha que vende os mesmos produtos que você. O concorrente chamado tubarão é capaz de roubar todos os seus clientes sem você saber pra onde é que ele foi.

É claro que a sua empresa também pode se tornar um tubarão. Ela também pode ser capaz de ganhar diversos clientes em vários cantos do país e do mundo, tirando das grandes empresas os seus clientes e trazendo pra você. Também pode ganhar clientes que nunca souberam da existência da sua loja.

Basta você saber como utilizar a internet. Ela pode ser a sua maior aliada no mundo dos negócios.

 

Cleiton Martins é especialista em vendas online.

Comentários

VEJA TAMBÉM...