Morte de jovens em situação de risco cai no Espírito Santo - Jornal Fato
Estadual

Morte de jovens em situação de risco cai no Espírito Santo

Os homicídios de jovens atendidos pelo projeto Ocupação Social tiveram queda nos últimos três anos


Lorena M. Giordina
ADI-ES
 
 
Uma das populações mais vulneráveis no Estado, os jovens, teve a taxa de homicídios reduzida em 42%, nos últimos anos. Os números foram apresentados nesta terça-feira (20), em coletiva de imprensa, no Palácio Anchieta, em Vitória. A queda da mortalidade é atribuída ao Programa Ocupação Social instalado há três anos em bairros de vulnerabilidade social da região Metropolitana e nas cidades do interior como Cachoeiro de Itapemirim, Linhares, São Mateus, Colatina e Pinheiros.
 
O Ocupação Social, coordenado pela Secretaria de Estado de Direitos Humanos (SEDH), atende jovens de 10 aos 24 anos, que estão fora da escola ou em distorção idade-série, com ações sociais que incluem ofertas de vagas em cursos de qualificação, de empreendedorismo, atividades culturais e esportivas, bolsas de estudos, vagas de estágios e serviços de atendimento ao cidadão. Para este ano, o governo reservou 56 mil novas oportunidades dessas ações, totalizando 80 mil oportunidades, que segundo o governador Paulo Hartung, são para jovens que não se encantaram com a escola tradicional e por isso, buscam novas formas de saber e de conhecimento.
 
"Uma informação importante que temos diagnosticada em pesquisa é que estes jovens querem acesso ao conhecimento e ao saber, porém não nas profissões tradicionais. O desafio é atrair esse público e dar alguma chance igualitária na corrida da vida", explicou Hartung.
 
Em três anos de atuação, com início em 2015, o Ocupação Social, ajudou a reduzir em 42% o número de homicídios de jovens, com idade entre 15 e 24 anos, das comunidades atendidas pelo programa. Caiu de 140 assassinatos, em 2014, para 81 casos, em 2017. A menor taxa da série histórica, conforme monitorou desde 2001 a Secretária de Segurança Pública e Defesa Social (Sesp).
 
Mesmo no interior o secretário de Direitos Humanos, Julio Pompeu, garantiu que os bairros dos municípios onde o programa atua, tiveram redução das mortes.
"Os bairros e regiões são escolhidas com base em estudo e pesquisa, onde as mortes violentas de jovens persistem. Quando há uma constância de mortes de jovens é preciso um trabalho de transformação, quando as mortes são pontuais a ação de enfrentamento pode ser outra. Estamos estudando a criação por lei de um critério objetivo que possa avaliar a inclusão de novas áreas, para evitar que o Ocupação Social seja um jogo de disputa política. O programa nasceu com o diálogo, pesquisa e planejamento, e um dos segredos do sucesso para a redução de mortes em tão pouco tempo, foi porque ouvimos a comunidade, as lideranças, e os jovens, para que o programa funcionasse atendendo a comunidade e não quem tem influência política", afirmou Pompeu.
 
 
Balanço ações
 
De 2015 até o final de 2018, a previsão é de oferecer mais de 80 mil oportunidades, entre vagas e atendimentos, nos diferentes projetos realizados pelo programa, sendo que mais de 56 mil apenas neste ano.
 
- Empreendedorismo: 5.530 oportunidades previstas para 2018
- Cultura: 11.480 oportunidades previstas para 2018
- Esporte: 6.240 oportunidades previstas para 2018
- Qualificação Profissional: 3.484 oportunidades previstas para 2018
- Outras ações: 29.325 oportunidades previstas para 2018

Comentários

VEJA TAMBÉM...