Entrevista

Prefeito eleito quer levar empresas e gerar empregos

Renato fala de seus principais desafios dentro do executivo a partir do próximo dia 28


Renato Prúcoli (PTB) vai assumir a prefeitura no próximo dia 28 (Foto: Leandro Moreira)

 

Leandro Moreira

 

Recém-eleito prefeito de Muqui, Renato Prúcoli (PTB), vai assumir a prefeitura no próximo dia 28. Ele já ocupou essa cadeira no fim do ano passado após o licenciamento do então prefeito Aluísio Filgueiras (PSDB), que foi tratar da saúde, mas faleceu em dezembro - Renato era seu vice.

 

As novas eleições em Muqui ocorreram no dia 2 deste mês, pelo motivo de o prefeito eleito Frei Paulão (PSB) ter a sua candidatura indeferida por ter contas rejeitadas no Tribunal de Contas da União (TCU). Neste período, a cidade foi administrada interinamente pelo presidente da Câmara Municipal, Sérgio Luiz Anequim, o Camarão (DEM).

 

Em breve entrevista, Renato fala de seus principais desafios dentro do executivo, do ambiente político após um pleito com seis candidatos e o que a população pode esperar dele como prefeito.

 

ES de Fato - Quais são as prioridades?

 

Renato Prúcoli - Aumentar emprego e a renda no município e investir na saúde e meio ambiente. Esses três pontos irão nortear nossa administração.

 

Já assumiu como prefeito. O que fazer para aumentar a arrecadação?

 

Assumi no final do ano passado, após a falta de Aluízio. Para aumentar a receita do município, temos que levar empresas para gerar mais ICMS. Temos também que fortalecer a agricultura, através de incentivos voltados à diversificação e apoiar o que já existe, como melhorias de estradas, inclusive já pedi ao governador Paulo Hartung para agilizar o projeto 'Caminhos do Campo', que tem uma obra parada em Muqui. 

 

O governador já regulamentou o Fundesul. O senhor já pensa em como o município pode se beneficiar com os recursos do fundo?

 

Não há planejamento ainda, mas vamos buscar formas para aproveitar o fundo.

 

"... já pedi ao governador Paulo Hartung para agilizar o projeto 'Caminhos do Campo', que tem uma obra parada em Muqui"

 

O senhor esteve recentemente com o governador. Como foi a conversa?

 

A conversa foi sobre esta minha preocupação em levar o desenvolvimento para Muqui, que está um pouco atrasado. Ele se comprometeu a nos ajudar na forma como for possível. Pediu para que apontássemos os direcionamentos; com um tempo, vamos apresentar para pedir o apoio.

 

Como o senhor vê o ambiente político em Muqui? Acredita que o município está dividido, por conta da quantidade de pessoas que apoiam o ex-prefeito Frei Paulão (PSB)?

 

Não vejo divisão no município; somente na campanha eleitoral - já que tivemos seis candidatos, sendo dois ou três de expressão. Na leitura que fiz, Muqui quer algo novo. Quando apresentamos nosso projeto ao município e foi aceito, houve este intuito de mostra algo novo.

 

Tem conversado com os políticos que foram candidatos nesta última eleição?

 

Sim, já conversei com alguns. Está todo mundo aberto ao diálogo e também a nos apoiar na administração. Todas as pessoas querem o bem do município e vê-lo crescer - e algumas estão enxergando em mim esta possibilidade; por isso, acredito que terei apoio de algumas lideranças políticas da cidade.

 

Quanto à estrutura organizacional, o senhor pretende fazer alterações?

 

Teremos que fazer algumas mudanças para economizar e trazer investimentos. Temos ideias e já começamos a trabalhar em cima disso junto com o prefeito em exercício Camarão.

 

O que a população pode esperar do prefeito Renato Prúcoli?

 

Muito trabalho. Tenho esperança de ver o município gerando oportunidades em seu próprio território e vou trabalhar para isso.

Comentários

VEJA TAMBÉM...