ES fechou mês de junho com saldo negativo no emprego - Jornal Fato
Emprego

ES fechou mês de junho com saldo negativo no emprego

Os dados estão no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado pelo Ministério do Trabalho na última sexta-feira (20)


Foto: Divulgação

O mês de junho fechou com saldo negativo no emprego formal no Espírito Santo. Foram fechadas -1.562 vagas, resultado de 26.603 admissões e 28.165 desligamentos. A diferença representou uma variação -0,22% no número de empregos em relação a maio. Os dados estão no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado pelo Ministério do Trabalho na última sexta-feira (20).

 Os setores que mais contribuíram para este resultado foram a Indústria de Transformação, que fechou -857 vagas e o Comércio que chegou ao final do mês com saldo de -737 postos.

 

Espírito Santo - Comportamento do emprego segundo Setores de Atividade Econômica

Setores de Atividade Econômica

Saldo de Junho de 2018

Variação Absoluta

Variação Relativa (%)

Extrativa Mineral

37

0,34

Indústria de Transformação

-857

-0,75

Serviços Industriais de Utilidade Pública - SIUP

56

0,72

Construção Civil

-296

-0,71

Comércio

-737

-0,41

Serviços

473

0,15

Administração Pública

-1

-0,01

Agropecuária

-237

-0,61

Total

-1.562

-0,22

 

Cachoeiro também teve queda

Se mesmo quando o país e o estado geram empregos, Cachoeiro de Itapemirim costuma fechar postos de trabalho, a situação se manteve em junho, mês em que 91 vagas foram encerradas. No ano, já são 303 os postos de trabalho fechados no município.

O principal vilão, mais uma vez, foi a indústria de transformação, que demitiu 57 a mais do que admitiu. Comércio, serviços e agropecuária também foram mal no mês.

 

Em nível nacional, houve pequena retração 

No Brasil, o emprego formal se manteve estável em junho. Foram registradas no mês 1.167.531 admissões e 1.168.192 desligamentos, que resultaram em um saldo de -661 vagas. Isso representa uma variação de 0,00% em relação ao número total de vínculos empregatícios do Brasil registrados até maio. Com isso, o estoque de empregos do país ficou em 38.212.388.

 As atividades que mais criaram vagas foram as ligadas à Agropecuária, que teve saldo de +40.917 empregos, resultantes de 113.179 admissões e 72.262 desligamentos, uma expansão de 2,58%. O segundo melhor desempenho da economia no mês de junho foi o do setor de Serviços Industriais de Utilidade Pública, com saldo de +1.151 postos, resultado de 6.849 admissões e 5.698 desligamentos.

O setor de Serviços ficou estável em junho, com saldo de +589 empregos formais, consequência de 480.517 admissões e 479.928 desligamentos. As demais áreas da economia tiveram desempenho negativo no mês. Foi o caso do Comércio que ficou com saldo negativo em -20.971 vagas, devido às 279.271 admissões e 300.242 desligamentos. Em seguida, veio a Indústria de Transformação, que admitiu 176.249 trabalhadores e desligou 196.719, apresentando um saldo de -20.470 vagas, uma queda de -0,28% em relação ao mês anterior.

 

Regional

Quatro das cinco regiões brasileiras tiveram crescimento no emprego formal em junho. No Centro-Oeste foram criadas +8.366 vagas; no Sudeste, +3.612; no Nordeste, +3.581; e no Norte, 930. Apenas na região Sul o saldo foi negativo, com o fechamento de -17.150 postos. Dezesseis unidades federativas registraram variação positiva no emprego e onze, negativa.

 

Comentários

VEJA TAMBÉM...