Escola de Alegre utiliza o celular como ferramenta de estudo - Jornal Fato
Educação

Escola de Alegre utiliza o celular como ferramenta de estudo

A ação tem como objetivo envolver o uso do celular nos trabalhos desenvolvidos em sala de aula


Os estudantes dos Ensinos Fundamental e Médio da Escola Estadual José Corrente, localizada em Alegre, participam de um projeto com o tema "Usando o Whatsapp". A ação tem como objetivo envolver o uso do celular nos trabalhos desenvolvidos em sala de aula.

Durante a ação, os alunos resolveram lista de atividades de nivelamento disponibilizado pelo Programa de Avaliação da Educação Básica do Espírito Santo (Paebes), compartilhamento de materiais de apoio extraclasse, simulados on-line, pesquisa de notícias para construção textual.

Segundo o estudante Anailson Qualhano, da 1ª série do Ensino Médio, essa atividade serviu para que as aulas ficassem mais interessantes.  "Em cada aula o professor coloca no nosso grupo de Whatsapp as atividades que temos que fazer e disponibiliza exercícios online. E quando terminamos, a correção é automática e podemos ver o que erramos", disse.

Para o estudante Vinícius Alves Porto Rodrigues, da 3ª série do Ensino Médio, esse novo método de ensino está sendo muito produtivo. "No início achei que não daria certo, porque muitos alunos fazem o uso errado do celular na escola, mas está sendo bem proveitoso. O professor sempre lança no grupo os temas para a aula de redação e depois podemos buscar na internet informações para a construção dos nossos textos. E nas aulas de Língua Portuguesa, ele coloca as atividades no grupo e temos que resolver tudo no caderno. Isso é muito bom, pois economizamos o tempo e podemos usá-lo para fazer mais atividades", explicou.

De acordo com o professor Célio Vinícius Sousa da Silva, que leciona a disciplina Língua Portuguesa, ver que os alunos estão gostando desse novo modo de estudo é muito bom. "O maior desafio como educador, hoje, é competir com a tecnologia e tornar as aulas atrativas. O mais interessante foi que não houve resistência dos estudantes em entrar nessa aventura", afirmou.

Comentários

VEJA TAMBÉM...