Conheça os vencedores do 4º Cine.Ema - Jornal Fato
Cultura

Conheça os vencedores do 4º Cine.Ema

os vencedores do troféu Sino de Ouro, honraria dada às melhores produções audiovisuais


Evento aconteceu em Burarama e premiou curtas nas categorias animação, ficção, documentário e júri popular - Foto: Divulgação

O Festival de Cinema Ambiental e Sustentável do Espírito Santo (Cine.Ema) revelou, no último sábado (09), os vencedores do troféu Sino de Ouro, honraria dada às melhores produções audiovisuais. Foram condecorados os curtas Tembiara, de Jackson Abacatu (melhor animação), Latossolo, de Michael Santo (documentário), Nanã, de Rafael Amorim (ficção) e Pedro e o Velho Chico, de Renato Gaia, (júri popular). O evento aconteceu em Burarama, distrito de Cachoeiro de Itapemirim.

Inspirado na Pedra da Ema, ícone natural e paisagístico de Burarama, o "Cine.Ema", realizado desde 2015, é marcado por diversas atividades paralelas de educação ambiental além das mostras audiovisuais que relacionam cinema ambiental em obras de ficção, animação e documentário.

Valendo-se do cinema como um grande condutor na aventura fantasiosa de descobertas e resgates, na edição deste ano aconteceu, pela primeira vez, a Mostra Cine.Eminha, com filmes de temática ambiental para o público infantil, além de oficinas, teatro de fantoches e shows.

O Cine.Ema é patrocinado pela BRK Ambiental, Banestes, BRDE, Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) e Ancine. O festival conta com o apoio da TV Gazeta Sul e é uma realização da Caju Produções, do Instituto Últimos Refúgios e da Secretaria do Audiovisual, Ministério da Cultura.

 

Sino de Ouro

Criado pelo artista plástico Bruno Salvador, o troféu, nesta edição, se transformou, com novos materiais. Foram utilizados resíduos da indústria de mármore e granito e papel machê resinado, para reafirmar o conceito de sustentabilidade. "O objetivo é a cada ano mudar o material de confecção desenvolvendo assim uma pesquisa a descoberta de novos materiais e motivando olhar sustentável para a forma de como podemos reciclar e utilizar novos materiais para novas ideias", disse o artista. O formato é uma criação alegórica que faz referência a lenda da Pedra da Ema e leva para os premiados, além de um troféu, um pouco de história e culturas locais.

 

Sobre os filmes vencedores

Tembiara, de Jackson Abacatu (Minas Gerais) - Melhor animação

Narrado na língua tupi, "Tembîara" traz a história de três caçadores, uma caça e um observador, em um lugar onde a ação pode se tornar inútil ante seu objetivo. Inspirado no poema de mesmo nome, que significa "a presa".

Latossolo, de Michael Santos (Bahia) - Melhor documentário

A relação do homem com seu ambiente natural, e a ocupação de uma cidade localizada sobre o latossolo vermelho amarelo.

Nanã, de Rafael Amorim (Pernambuco) - Melhor ficção

Em um complexo portuário e industrial, a população enfrenta o processo de gentrificação do território. A resistência é a terra.

Pedro e o Velho Chico, de Renato Gaia (Minas Gerais) - Júri popular

Escolhido a melhor produção pelo Júri Popular formado por moradores de Burarama, o filme é inspirado no livro infantil Pedro e o Velho Chico e conta a história do garoto Pedro e do catador de material reciclável "Seu Chico". Ao emprestar seu diário ao garoto o "Velho Chico" o convida para uma viagem mágica pelo rio São Francisco.

Comentários

VEJA TAMBÉM...