Artigos

Prosa & Bala

Alessandro Marin


Esse espaço pretende ser uma forma de falar sobre temas afetos a segurança pública, criminalidade e violência, sem levar em conta a métrica ou a formalidade de textos e artigos. Busca reunir fatos ocorridos nos municípios do Sul, no Estado do Espírito Santo e no País, para ilustrar e formar opiniões dos leitores simpatizantes ao assunto.

 

Começamos registrando que o "celular" mostrou-se mais uma vez ser o objeto preferido dos ladrões. A cena da vitrine despedaçada em uma loja de celulares em um Shopping no Centro de Cachoeiro de Itapemirim, no dia 02 (quarta), reforça o quanto o aparelho tornou-se moeda de troca entre os criminosos e o tráfico de drogas. Além desse fato ocorreram repetidos roubos de aparelhos por duplas em motocicletas em Cachoeiro e Atilio Vivácqua. Dica básica: esse aparelho tornou-se uma jóia, use-o com cautela.  

 

Mas a criminalidade deixa de ser um problema só das cidades de médio e grande porte, alcançando o interior com maior intensidade. No dia 01 (terça) uma família foi vítima de roubo com restrição de liberdade em Burarama, distrito de Cachoeiro de Itapemirim; na quinta-feira (03) uma agência de "pague fácil" foi alvo de roubo no centro de Mimoso do Sul; e na sexta (04) um motociclista perdeu a vida em Vargem Alta após um assalto (latrocínio), onde o bandido mostrou ser oriundo de Cachoeiro, escondendo-se no bairro Rubem Braga.  

 

Ao mesmo tempo as forças de segurança partem pra cima como podem. No dia 03 (quinta), a Polícia Militar executou uma operação em Cachoeiro de Itapemirim, com a detenção de nove pessoas, e apreensão de armas e drogas. Baseado em um planejamento conjunto do Serviço de Inteligência do 9º BPM com a Delegacia de Infrações Penais Outras da Polícia Civil, em mais uma semana seguida, os bandidos de cachoeiro amanheceram com a polícia batendo em suas portas. Parabéns!

 

Essa semana ocorreram novas revelações de um crime que marcou a região, com o assassinato do advogado Fernando Ghio, em 14 de Julho. A trama desse crime foi pauta em grande parte das conversas na sociedade, revelando uma face obscura das pessoas envolvidas, que saíram do perfil de "preto e pobre".

 

Importante a iniciativa da Guarda Civil Municipal de Cachoeiro, que anunciou a implantação do projeto Vidda, para desenvolver atividades em prol da saúde física e mental dos agentes municipais. Todo o investimento no profissional se reverterá a população, é fato.

 

Sobre a notícia veiculada no Estado, de que 5 delegacias da Grande Vitória acumulam mais de 13 mil inquéritos de homicídios, o promotor de justiça Paulo Panaro, que fiscaliza as delegacias da Grande Vitória, disse que todos os crimes estão sob investigação, mas que a grande quantidade de inquéritos dá a aparência de paralisação. É ou não como investigar uma guerra?

 

Na quinta-feira (03) ocorreu a troca do 6º Comando de Policiamento de Área (CPA) em Campos dos Goytacazes-RJ, área que faz divisa com o Estado do Espírito Santo. Assumiu o Coronel Friederick Minervini Bessani em substituição ao Coronel Lúcio Flávio Baracho, que assume a Chefia do Estado Maior Geral da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro. O Coronel Friederick passa a Comandar o Policiamento Ostensivo nas áreas do 8º Batalhão de Polícia Militar (Campos dos Goytacazes), 29º Batalhão de Polícia Militar (Itaperuna), 32º Batalhão de Polícia Militar (Macaé) e 36º Batalhão de Polícia Militar (Santo Antônio de Pádua). Parabéns aos respeitáveis Comandantes!

 

Ainda no Estado vizinho, é com pesar que registram mais um policial militar morto no Rio de Janeiro essa semana, o sargento Márcio Thomé Ribeiro, morreu após ser baleado na noite de sexta-feira (4) em Realengo, zona oeste do Rio de Janeiro. É o 93º policial morto no Rio em 2017. Outra guerra!

 

Já o antropólogo Roberto Kant de Lima (UFF), em aula na Defensoria Pública do Rio de Janeiro sobre Justiça Criminal e Segurança, afirmou que o processo penal brasileiro voltou a ser inquisitorial e deixou de ser acusatório, como a nossa constituição federal manda. Segundo o professor o alinhamento do Judiciário com o MP contra a defesa, na Operação Lava-Jato por exemplo, é manifesta: "Nada disso é casual. O sistema está dizendo o que ele realmente é", disse Lima.

 

O Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CEDDPH-AM) quer que a Polícia Militar (PM) e a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) do Amazonas expliquem se permitiram que policiais e alunos do 3º ano no Colégio da PM Waldocke Fricke de Lyra, no bairro Tarumã, na Zona Oeste de Manaus, convidasse o pré-candidato à presidência da República em 2018, Jair Bolsonaro (PSC/RJ), a participar da festa de formatura da instituição no dia 05/08. Para a Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Amazonas (OAB/AM), o convite feito dentro de uma instituição pública resulta na prática de insinuação política e favorecimento de candidato.

 

Alessandro Marin - Coronel PM/ES

Bacharel em Direito, Especialista em Seg. Pública e Gestão Pública

 

 

 

Comentários

VEJA TAMBÉM...