O silêncio dos bons - Jornal Fato
Artigos

O silêncio dos bons


 

Por Rodolpho Verediano


Atribui-se a Martin Luther King uma frase que merece nossa atenção: "O que me preocupa não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons". Você se cala ou grita , quando o assunto é de relevância ao progresso do nosso país? Claro que esse grito é no sentido figurado, remetendo-nos até mesmo a uma militância informativa, que busca debater ideias, princípios e valores, de forma a tornar nossa democracia mais saudável. Não falo de um grito de desespero, causado pelo caos moral e ético em nossas instituições.
Durante anos, o Brasil foi tomado por militantes que souberam chantagear várias lideranças políticas; e esses, por medo de perderem o poder, submeteram-se a chantagens, tendo como moeda de troca o silêncio do maus. Custou caro para o brasileiro manter Governantes que se preocuparam mais com seus projetos pessoais do que com o povo. Digo isso porque a ganância pelo poder pode refletir em atitudes que vão na contramão dos nossos anseios.
Cabe ao cidadão de bem a coragem de participar e ser agente das mudanças que desejamos. Tornar-se político não é o único caminho. Temos condições de mudar o Brasil, se entendermos que vivemos em comunidade, deixando de lado o egoísmo que muita das vezes nos leva a viver dentro de um bolha, como se não dependêssemos de uma harmonia coletiva. Imagine alguém muito bem sucedido, com saúde, uma família bonita, porém sem paz para viver, uma vez que reside em um meio no qual o caos gerado pode ser fruto do seu próprio egoísmo? O mundo funciona bem melhor quando olhamos para o próximo e desejamos a ele o mesmo que gostaríamos pra nós mesmos. Imagine-se em condições precárias, além das suas forças, e reflita como alguém poderia ser útil e solidário à sua dor. Após essas reflexões, carregue com você a missão que tem para com o próximo e consigo mesmo. Não se cale diante das injustiças; não se cale diante das urnas, votando branco ou nulo. Se assim o fizer, estará se tornando cúmplice dos maus. Querendo ou não, seremos governado por uma das opções lançadas, mas que seja pela melhor entre as alternativa das quais dispomos.
Nem sempre se calar é sabedoria. Às vezes, pode ser covardia de nossa parte. Para que haja mudanças, basta entendermos que BASTA e sermos sábios.
..."Quem governa o povo com justiça, quem o governa com o temor de Deus, é como a luz da manhã ao nascer do sol, numa manhã sem nuvens. É como a claridade depois da chuva, que faz crescer as plantas da terra'." 2 Samuel 23:3, 4.
Deus acima de tudo!

Comentários

VEJA TAMBÉM...