O efeito Manato - Jornal Fato
Artigos

O efeito Manato

A candidatura do deputado federal ao governo do Espírito Santo amplia a disputa eleitoral que parecia decidida antes mesmo de começar


A candidatura do deputado federal Carlos Manato (PSL) ao Governo do Espírito Santo amplia disputa eleitoral que parecia definida antes mesmo de começar.

A menos que o eleitorado capixaba pense muito diferente da média nacional, a proximidade de sua candidatura com a do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) deve atrair boa parte dos apoiadores deste: fenômeno já visível nas redes sociais, mas inda não medido em pesquisas tradicionais.

O próprio Manato se tornou cabo eleitoral de primeira hora de Bolsonaro, que lidera a corrida presidencial, sem Lula no páreo. O parlamentar carioca goza de simpatia de parcela expressiva da sociedade capixaba.

Para inserir o candidato ao governo do ES ainda mais neste nicho, a chapa conta com o senador Magno Malta, o vice dos sonhos de Bolsonaro e que traz, consigo, os valiosos 47 segundos de tempo de televisão do PR. sozinho, o PSL teria 7'.

Embora sua candidatura seja improvisada e concebida apenas por necessidades de ajustes nas campanhas para cargos proporcionais, é a novidade num cenário complexo e revirado ao avesso dias antes do início da campanha legal.

Se a desistência de Hartung provocou o efeito manada, que reduziu a quase nada o número de partidos que defendem o legado que ajudaram a construir, o efeito Manato ainda será medido, com mais precisão, no dia 7 de outubro.

 


DESTAQUE. O ex-deputado estadual Rodrigo Coelho do Carmo iniciou ontem novo ciclo em sua vida pública, agora, como conselheiro do Tribunal de Contas do Estado. Ele tomou posse do cargo em cerimônia no auditório da corte. Para isso, teve que renunciar ao mandato de deputado, se desfiliar do PDT e sair da disputa eleitoral pela reeleição.


 

Sobe

Fiscalização

A fiscalização da Prefeitura de Cachoeiro tem fechado o cerco contra motociclistas que circulam de maneira irregular pelo município. O foco, pela primeira vez, recai também sobre as motos com o escapamento aberto, que tanto barulho e incômodo provocam.

 

Desce

Flanelinhas

Por outro lado, a fiscalização sobre os flanelinhas têm causado poucos efeitos práticos. Dois ou três dias depois de tomarem dura e até multas - que jamais vão pagar - lá estão eles de novo, importunando motoristas na região central de Cachoeiro.

 


Mas, hein?!

O que será que acontece em Cachoeiro que o número de novos empreendimentos anunciados só aumenta, mas o desemprego não diminui?

 


 

Vias de FATO

A secretaria de Saúde atingiu, na primeira semana, 20% de vacinação em crianças maiores de um ano e que ainda não completaram 5, contra sarampo e pólio, em Cachoeiro.

 

O dia D da vacinação, que concentra esforços e abre mais salas para a imunização, só acontece no sábado. O objetivo é chegar o mais perto possível dos 100%.

 

Via de acesso ao Marbrasa, em Cachoeiro, a rua Manoel Pereira da Silva deve receber rede de drenagem capaz de acabar com problemas de alagamento em períodos chuvosos mais críticos.

 

O processo de licitação para a contratação de empresa está em curso, mas as obras só devem começar no ano que vem.  Na sexta, o projeto foi apresentado aos moradores.

 

O caminho das Fake News eleitorais já começa a ser pavimentado. Candidatos e eleitores devem ficar atentos.  A Justiça Eleitoral, mais ainda.


Wagner Santos Diretor e editor Jornalista

Comentários

VEJA TAMBÉM...